jornal pessoal

O jornal que incomoda as grandes corporações amazônicas pode parar de circular

"Fiquei pobre, fui perseguido, respondi a 34 processos na Justiça, me agrediram fisicamente, fui ameaçado de morte, mas continuo a fazer o meu jornalzinho", diz Lúcio Flávio Pinto, responsável pela