ives gandra

Meirelles vai ao TST explicar impactos da PEC 241

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, reúne-se ainda hoje (19), no final da tarde, com o presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ives Gandra, e com presidentes dos 24 tribunais

Meirelles vai ao TST explicar impactos da PEC 241

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, reúne-se ainda hoje (19), no final da tarde, com o presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ives Gandra, e com presidentes dos 24 tribunais
Carta de Natal ao professor Ives Gandra, por Sergio Saraiva

Carta de Natal ao professor Ives Gandra, por Sergio Saraiva

Categoria: Artigos Prezado professor Ives Gandra, primeiramente: “fora Temer”. Permita-me tecer alguns comentários a respeito de seu artigo na Folha desta antevéspera do Natal de 2016 – ”Balanço de

Jurista defende a estabilidade do governo para o Brasil voltar a crescer

O jurista Ives Gandra Martins, disse hoje (7), durante palestra no Fórum Reforma Brasil, organizado pela Associação Comercial de São Paulo, para discutir as reformas necessárias para o crescimento do

Jurista defende a estabilidade do governo para o Brasil voltar a crescer

O jurista Ives Gandra Martins, disse hoje (7), durante palestra no Fórum Reforma Brasil, organizado pela Associação Comercial de São Paulo, para discutir as reformas necessárias para o crescimento do

TST derruba liminar que obrigava divulgação da "lista suja" do trabalho escravo

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Ives Gandra Martins Filho, acatou hoje (7) pedido feito pela Advocacia-geral da União (AGU) e derrubou a liminar que obrigava o Ministério

TST derruba liminar que suspendia publicação da "lista suja" do trabalho escravo

O ministro Alberto Bresciani, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), derrubou hoje (14) a liminar concedida, na última terça-feira (7), pelo presidente do TST, ministro Ives Gandra Martins Filho, que

Governo publica ‘lista suja’ do trabalho escravo

Minas Gerais é o Estado campeão em flagrantesDivulgação foi determinada pela Justiça do Trabalho
Terceirização de atividade-fim deve ser decidida no STF, diz presidente do TST

Terceirização de atividade-fim deve ser decidida no STF, diz presidente do TST

O presidente do TST, ministro Ives Gandra, fala sobre a reforma trabalhista e terceirização durante o 9° Encontro Interempresarial de Jurídico Trabalhista José Cruz/Agência Brasil O presidente do
Terceirização de atividade-fim deve ser decidida no STF, diz presidente do TST

Terceirização de atividade-fim deve ser decidida no STF, diz presidente do TST

O presidente do TST, ministro Ives Gandra, fala sobre a reforma trabalhista e terceirização durante o 9° Encontro Interempresarial de Jurídico Trabalhista José Cruz/Agência Brasil O presidente do
Judiciário pode decidir sobre terceirização, diz Ives Gandra

Judiciário pode decidir sobre terceirização, diz Ives Gandra

Categoria: Trabalho Foto: José Cruz/Agência Brasil Jornal GGN - Alvo de polêmicas por declarações machistas, de que "a mulher deve obedecer e ser submissa ao marido", ou homofóbicas, de que "o
Presidente do TST e procurador-geral divergem sobre reforma trabalhista

Presidente do TST e procurador-geral divergem sobre reforma trabalhista

Para o presidente do TST, a reforma pode reduzir o número de processos na Justiça trabalhistaMarcelo Camargo/Agência Brasil O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Ives Gandra
Presidente do TST e procurador-geral divergem sobre reforma trabalhista

Presidente do TST e procurador-geral divergem sobre reforma trabalhista

Para o presidente do TST, a reforma pode reduzir o número de processos na Justiça trabalhistaMarcelo Camargo/Agência Brasil O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Ives Gandra

Governo lança pacote de ferramentas on-line e carteira de trabalho digital

Ações visam atendimento mais simples aos trabalhadoresIniciativas integram o programa 'Emprega Brasil'

TST adia julgamento sobre mudança de orientações com a reforma trabalhista

O plenário do Tribunal Superior do Trabalho (TST) adiou o julgamento da revisão de mais de 30 súmulas para adaptá-las à Lei 13.467, de 2017, conhecida como Lei da Reforma Trabalhista. Uma comissão foi