henrique pizzolato

Condenado no mensalão, Pizzolato passará a cumprir pena em regime semiaberto

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso concedeu hoje (31) progressão para o regime semiaberto ao ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado na

Condenado no mensalão, Pizzolato passará a cumprir pena em regime semiaberto

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso concedeu hoje (31) progressão para o regime semiaberto ao ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado na
STF libera mensaleiro Henrique Pizzolato para o semiaberto

STF libera mensaleiro Henrique Pizzolato para o semiaberto

Ministro Roberto Barroso autoriza Henrique Pizzolato a cumprir pena do mensalão em regime semiaberto
Luiz Estevão dá emprego a companheiro de cela Henrique Pizzolato

Luiz Estevão dá emprego a companheiro de cela Henrique Pizzolato

Henrique Pizzolato vai trabalhar em rádio de Luiz Estevão para poder usufruir do direito ao regime semiaberto e deixar a penitenciária da Papuda
Barroso concede liberdade a Pizzolato, condenado no mensalão

Barroso concede liberdade a Pizzolato, condenado no mensalão

Pizzolato foi condenado pelos crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro
Barroso concede liberdade a mensaleiro Henrique Pizzolato

Barroso concede liberdade a mensaleiro Henrique Pizzolato

Ex-diretor de marketing do Banco do Brasil deixará a cadeia depois de pouco mais de dois anos. Condenado no mensalão, ele havia fugido à Itália em 2013
Condenado do mensalão, Pizzolato consegue liberdade condicional pelo STF

Condenado do mensalão, Pizzolato consegue liberdade condicional pelo STF

Condenado a 12 anos e 7 meses de prisão, além de multa, pelos crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro na Ação Penal 470, o processo do mensalão, o ex-diretor de Marketing do Banco

Barroso concede liberdade a condenado no Mensalão

Henrique Pizzolato era diretor do BBEle foi preso em 2014 na Itália
Condenado do mensalão, Pizzolato consegue liberdade condicional pelo STF

Condenado do mensalão, Pizzolato consegue liberdade condicional pelo STF

Condenado a 12 anos e 7 meses de prisão, além de multa, pelos crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro na Ação Penal 470, o processo do mensalão, o ex-diretor de Marketing do Banco
Pizzolato deixa presídio da Papuda para cumprir pena em liberdade condicional

Pizzolato deixa presídio da Papuda para cumprir pena em liberdade condicional

Henrique Pizzolato, ex-diretor de Marketing do Banco do BrasilAntonio Cruz/Arquivo/Agência Brasil O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato deixou hoje (28) a Penitenciária da
Pizzolato deixa presídio da Papuda para cumprir pena em liberdade condicional

Pizzolato deixa presídio da Papuda para cumprir pena em liberdade condicional

Henrique Pizzolato, ex-diretor de Marketing do Banco do BrasilAntonio Cruz/Arquivo/Agência Brasil O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato deixou hoje (28) a Penitenciária da
Pizzolato deixa cadeia no DF para cumprir liberdade condicional

Pizzolato deixa cadeia no DF para cumprir liberdade condicional

Condenado no mensalão, ex-diretor de marketing do Banco do Brasil foi beneficiado por decisão do ministro do STF Luís Roberto Barroso
Pizzolato deixa presídio para cumprir pena em condicional

Pizzolato deixa presídio para cumprir pena em condicional

Pizzolato foi condenado a 12 anos e 7 meses de prisão, além de multa, pelos crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro
Libertado, Pizzolato quer evitar pagamento de multa

Libertado, Pizzolato quer evitar pagamento de multa

Pizzolato passou um ano e sete meses cumprindo pena em regime fechado no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília
AGU pede bloqueio de bens de Pizzolato para cobrir custo de extradição

AGU pede bloqueio de bens de Pizzolato para cobrir custo de extradição

A Advocacia-Geral da União (AGU) pediu o bloqueio de R$ 580 mil em bens do ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato para garantir a restituição dos prejuízos causados aos cofres públicos com a
AGU pede bloqueio de bens de Pizzolato para cobrir custo de extradição

AGU pede bloqueio de bens de Pizzolato para cobrir custo de extradição

Valor pedido de R$ 580 mil é referente a gastos com a contratação de escritório de advocacia italiano, pagamento de diárias e passagens e gastos da PF