doenças cardiovasculares

Comer dez porções de frutas e verduras por dia reduz o risco de morte prematura

Comer dez porções de frutas e verduras por dia reduz o risco de morte prematura

Uma revisão da literatura científica, com mais de cem estudos, confirma os benefícios de uma alimentação saudável e eleva para 800 gramas a recomendação diária
Ibuprofeno aumenta em 31% o risco de parada cardíaca

Ibuprofeno aumenta em 31% o risco de parada cardíaca

Pesquisa demonstra os problemas de anti-inflamatórios que podem ser comprados sem receita
A tribo onde ninguém morre de infarto

A tribo onde ninguém morre de infarto

Os anciãos de um povo amazônico, os tsimanes, têm a mesma saúde vascular que um ocidental de 50 anos
Exercício físico intenso é melhor para o coração

Exercício físico intenso é melhor para o coração

Um estudo com 10.000 pessoas determina que é mais importante o esforço feito do que a sua duração
Quatro irmãos de 110, 109, 103 e 101 anos iluminam os genes da longevidade

Quatro irmãos de 110, 109, 103 e 101 anos iluminam os genes da longevidade

Projeto que estuda o DNA de pessoas centenárias busca retardar o envelhecimento
Ter barriga de cerveja é pior do que estar gordo

Ter barriga de cerveja é pior do que estar gordo

Nem toda a gordura é igualmente prejudicial: a que acumulamos na região abdominal dobra o risco de morte, segundo um estudo. Aqui estão as chaves para reduzi-la.

Estudo sugere que três cafés por dia reduzem a mortalidade prematura entre 8% e 18%

Pesquisa com meio milhão de pessoas, durante 16 anos, é a maior já realizada

Cientistas eliminam pela primeira vez gene da morte súbita em embriões humanos

Pesquisadores de diferentes países conseguem corrigir doenças hereditárias severas usando CRISPR, técnica de edição genética

Chuck Norris sofre dois ataques cardíacos em 47 minutos

O ator norte-americano de 77 anos sobreviveu aos dois infartos e virou tema nas redes
O povo com o coração mais saudável do mundo

O povo com o coração mais saudável do mundo

E eles comem muito, muito carboidrato.
O “colesterol bom” realmente merece esse adjetivo?

O “colesterol bom” realmente merece esse adjetivo?

Novo estudo sugere que os níveis muito baixos e muito altos de “colesterol bom” são um fator de risco
A cada 40 segundos, uma pessoa morre vítima de doença cardiovascular no Brasil

A cada 40 segundos, uma pessoa morre vítima de doença cardiovascular no Brasil

Segundo o presidente da SBC, Marcus Bolivar Malachias, a metade de mortes por doenças cardiovasculares poderia ser evitada ou postergada por muitos anos com prevenção e cuidadoImagem de
Doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no Brasil, diz INC

Doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no Brasil, diz INC

Tabagismo é fator de riscoArquivo/Agência Brasil As doenças cardiovasculares, das quais a mais comum é a hipertensão (pressão alta), são atualmente a principal causa de morte no Brasil, atingindo
Morre Tom Petty, um dos grandes nomes do rock norte-americano

Morre Tom Petty, um dos grandes nomes do rock norte-americano

O intérprete morreu aos 66 anos após sofrer um ataque cardíaco em casa
“A genética é importante, mas, se os fatores de risco cardiovascular forem cuidados, a mortalidade diminui”

“A genética é importante, mas, se os fatores de risco cardiovascular forem cuidados, a mortalidade diminui”

Cardiologista defende a educação para hábitos de vida saudáveis como forma de combater as enfermidades cardiovasculares
Envelhecimento dos soropositivos é o novo desafio da luta contra o HIV

Envelhecimento dos soropositivos é o novo desafio da luta contra o HIV

A entrada dos portadores do vírus na terceira idade indica que este grupo é mais vulnerável a outras doenças não associadas à Aids, como problemas cardiovasculares
Por que a ciência quer que façamos menos exercícios

Por que a ciência quer que façamos menos exercícios

Cada vez mais estudos recomendam o mínimo treino necessário. Será que os especialistas exageraram na dose?
Não estar casado aumenta em 55% o risco de morrer de AVC, segundo o maior estudo feito até hoje

Não estar casado aumenta em 55% o risco de morrer de AVC, segundo o maior estudo feito até hoje

Os resultados, observados em dois milhões de pessoas, podem ser explicados pelo cuidado mútuo nos casais