Filhos de músicos saem da cola dos pais e conquistam próprio espaço

Facebook
VKontakte
share_fav

Escolher trilhar um caminho na música quando se é filho de um cantor consagrado reúne inúmeras facilidades e desafios. Eles encontram no mercado mais portas abertas do que a maioria vai encontrar, mas também precisam lidar com as comparações, que hora ou outra aparecem, e a exigência maior em relação ao trabalho.

Com estilos diferentes, alguns nomes conseguiram superar comparações e rótulos e construíram carreiras próprias no cenário musical. Sandy, Luiza Possi e Diogo Nogueira são alguns exemplos disso. Veja quem são eles!
*Estagiário do R7, sob supervisão de Thiago Calil.

Filhos de Xororó, da dupla com Chitãozinho, Sandy e Junior começaram cedo. Os irmãos se apresentaram pela primeira vez em 1989, quando tinham 6 e 5 anos, respectivamente. O primeiro álbum, Aniversário do Tatu, foi lançado em 1991. A partir daquele momento a dupla viveria uma história de sucesso

Mesmo com as vantagens que um pai famoso pode trazer, conquistaram o próprio público e somam mais de 15 milhões de discos vendidos ao longo da parceria, que chegou ao fim em 2007

Após o fim da bem-sucedida parceria com o irmão, Sandy investiu na carreira solo. Entusiasta de música brasileira, ela encontrou na nova fase a possibilidade de trilhar caminhos mais próximos desse universo. Claro que ela herdou fãs da dupla com Júnior, mas também conquistou novos. E segue trilhando os próprios passos

Veja mais: No Programa do Porchat, Sandy confessa que não gostaria que filho fosse artista

Júnior mudou os rumos da carreira. Hoje, com um trabalho que faz muito menos barulho do que na época de Sandy e Júnior, o artista tem se dedicado à música eletrônica, atuando como produtor e instrumentista. A segmentação restringiu o alcance do som que produz, mas também trouxe um público que não era tão próximo do que ele fazia antes

Maria Rita passou muito tempo sem entrar em contato com a obra da mãe, Elis Regina, que morreu quando ela ainda era criança. Não bastasse o drama pessoal, a cantora é filha de uma das vozes mais relevantes da história da música. As semelhanças físicas e da voz por algumas vezes renderam comparações

Entretanto, a cantora construiu uma carreira consistente e com personalidade. Hoje contabiliza oito discos lançados. Embora seja uma artista que transita entre vários estilos, encontrou no samba a principal linguagem

O início não foi fácil. A cantora Preta Gil teve que lidar com as comparações com o pai, Gilberto Gil, um dos nomes mais importantes da música brasileira. O primeiro disco da carreira, Prêt-à Porter, foi lançado em 2003. Na época, a capa do álbum causou polêmica por mostrar a cantora nua

Hoje, com 15 anos de carreira, Preta conquistou espaço e público próprios. O último trabalho, Todas as Cores, lançado em 2017, marca um amadurecimento. Além disso, conta com a participação de Gal Costa, madrinha da cantora, no clipe da música Vá Se Benzer

A estreia de Luiza Possi na música foi em 2002, com o disco Eu Sou Assim, que rendeu o primeiro hit, Eu Sou Assim. Zizi Possi, mãe da cantora, revelou em entrevista ao Programa do Porchat, da RecordTV, em maio de 2018, que sentiu medo quando a filha revelou que seguiria carreira musical. Zizi falou que o medo era por conta da pouca idade da filha. 16 anos após o primeiro disco, Luiza já contabiliza oito álbuns e uma carreira consistente

Com sete discos, Diogo Nogueira conquistou o próprio espaço dentro do samba — estilo que consagrou o pai, João Nogueira, morto em 2000. Diogo coleciona várias participações em trabalhos de nomes como Zeca Pagodinho, Jorge Aragão e Alcione

Wanessa Camargo alcançou públicos diferentes ao longo dos anos, um pouco disso se deve às mudanças de estilo desde o início da carreira. Filha de Zezé Di Camargo, da dupla com Luciano, a cantora estreou em 2000, com o disco que levava o próprio nome

Wanessa chegou a deixar de usar o sobrenome da família por um tempo, mas recentemente reassumiu o Camargo nos trabalhos. Hoje transita entre o pop e o sertanejo — estilo que sagrou o pai. Desde o primeiro álbum, a cantora já gravou outros nove trabalhos

ver R7 - Famosos