Nigéria confirma que Boko Haram libertou 76 meninas sequestradas

Facebook
VKontakte
share_fav

Algumas das 110 meninas sequestradas há mais de um mês pelos jihadistas do Boko Haram foram libertadas em sua cidade, Dapchi, no nordeste da Nigéria, confirmou nesta quarta-feira o porta-voz da presidência do país, Garba Shehu.

Os combatentes do grupo Boko Haram, alguns gritando “Deus é o Maior”, levaram as meninas de volta à cidade de Dapchi em uma fila de caminhões na manhã desta quarta-feira, as deixaram e saíram, disseram testemunhas à Reuters. “As meninas estão sendo transportadas para um local seguro. Daremos detalhes mais tarde. Agradecemos a Deus”, afirmou Shehu, em declarações publicadas pelo jornal The Punch.

O presidente da Associação de Pais das Estudantes de Dapchi, Bashir Man, também confirmou ao jornal Premium Times a liberdade das menores. “Meus familiares e colegas em Dapchi acabam de me informar que as meninas foram devolvidas nesta manhã”, disse Man.

Testemunhas disseram que entre 100 das 110 meninas sequestradas em Dapchi foram devolvidas, embora o governo tenha emitido um comunicado afirmando que 76 meninas foram libertadas em um “processo em andamento”.

Algumas das meninas disseram que cinco de suas amigas morreram em cativeiro e que outra ainda estava sendo mantida refém.

As estudantes foram sequestradas em 19 de fevereiro após um ataque contra um instituto feminino de Dapchi, no estado de Yobe, que lembrou à população o sequestro pelo Boko Haram de mais de 200 meninas em 2014 em Chibok, na vizinha região de Borno, das quais 112 não foram libertadas ainda.

A incerteza reinou na primeira semana após o incidente porque as autoridades se culpavam mutuamente e não confirmavam os fatos, até que o presidente do país, Muhammadu Buhari, reconheceu que as meninas tinham sido sequestradas por terroristas e qualificou o incidente de “desastre nacional”.

O chefe de Estado se inclinou a negociar com os terroristas para garantir “a liberdade das meninas de forma segura” e, em uma visita a Yobe há uma semana, prometeu que o seu Executivo não descansaria até que a última das meninas fosse devolvida à sua família.

O ministro nigeriano de Defesa, Mansur Dan-Ali, assegurou que as 110 meninas seriam libertadas em uma ou duas semanas, sem dar maiores explicações.

A Anistia Internacional denunciou nesta terça-feira que o Exército nigeriano ignorou pelo menos cinco chamadas que alertavam que um comboio do Boko Haram se dirigia a Dapchi no mesmo dia do sequestro das estudantes.

Este novo sequestro causou grande indignação na população, já que as escolas vizinhas estão fechadas desde que ocorreram os fatos.

( Com Reuters e EFE)

ver Veja
#nigeria
#boko haram
#mundo