Lava Jato diz ter rastreado suposta propina destinada a aliado de Macri

Facebook
VKontakte
share_fav

Um novo capítulo da Operação Lava Jato, a megainvestigação anticorrupção em curso no Brasil, voltou a expor o chefe dos serviços de inteligência da Argentina, Gustavo Arribas, um amigo próximo do presidente Mauricio Macri. A Polícia Federal brasileira disse ter confirmado nesta quinta-feira a suspeita de que Arribas foi o suposto destinatário de 850.000 dólares (2,76 milhões de reais) movimentados em um esquema de lavagem de dinheiro utilizando empresas de limpeza pública em São Paulo e Minas Gerais. Arribas desmentiu por meio de um comunicado que tenha alguma relação com a trama de corrupção investigada pela Lava Jato, e tachou de “versões jornalísticas” os detalhes da investigação policial, revelados por vários jornais brasileiros.

ver El País
#corrupção política
#corrupção
#força segurança
#empresas
#delitos
#financiamento ilegal
#operação lava jato
#petrobras
#caso petrobras
#lavagem dinheiro
#delitos fiscais
#partidos políticos
#américa
#polícia federal
#subornos
#investigação policial
#justiça
#américa do sul
#brasil
#américa latina