Com baterias apertadas, Medina e John John avançam em Pipe Masters

Facebook
VKontakte
share_fav

Após dias seguidos sem competição, a última etapa do Circuito Mundial de surfe voltou a acontecer. Neste domingo, os surfistas deram início ao Round 3 da etapa de Pipe Masters, no Havaí, e os dois principais concorrentes ao título da temporada 2017, avançaram para a próxima fase após baterias apertadas.

O brasileiro Gabriel Medina entrou no mar havaiano pressionado, mas representou bem o país. Primeiro brasileiro campeão do Circuito Mundial, em 2014, Medina enfrentou o australiano Josh Kerr na oitava bateria do Round 2, e venceu por 10,00 a 9,83.

Medina, atual segundo colocado do Circuito Mundial, começou em ritmo lento, analisando as investidas do rival Josh Kerr, que seguia com a prioridade das ondas. A bateria teve início com ondas modestas, mas alguns ventos fortes deram mais emoção ao duelo. Perto do fim da bateria, Medina conseguiu uma boa manobra e somou 6,57, caminhando para a vitória.

Medina venceu o australiano Josh Kerr (Foto: Tony Heff/WSL)

“Acho que Deus está do meu lado. Acredito que tenho chance. Agora é trabalhar forte e confiar”, disse Gabriel Medina após a vitória emocionante.

A situação de John John Florence, líder do Mundial, também não foi nada fácil. Atual líder do Mundial, o havaiano disputou vaga no Round 4 com o australiano Ethan Ewing, e levou a melhor por apenas 0,07: 10,87 a 10,80.

A bateria “Florence x Ewing” foi recheada de polêmica. O atual líder do Mundial finalizou sua participação no mar enquanto Ewing ainda aguardava uma nota, precisando somar 4,67 para derrotar John John. No entanto, os árbitros decidiram dar a nota 4,60 para o australiano, que acabou sendo eliminado.

“Não gosto de vencer baterias dessa forma, não é o que me agrada. Quero surfar, não quero atrapalhar meu foco. Estou tranquilo, surfando em casa”, avaliou John John Florence.

O brasileiro Ian Gouveia também tem vaga garantida no Round 4 da última etapa do Circuito Mundial. Gouveia venceu o australiano Matt Wilkinson na bateria 3, com 8,60 contra 6,83 do rival. Caio Ibelli, outro membro da Brazilian Storm, também avançou, ao bater Michel Bourez (10,13 x 6,57). Já Miguel Pupo não teve o mesmo desempenho que os compatriotas, e caiu para o australiano Joel Parkinson.

Brigando por seu segundo título do Mundial, Gabriel Medina está na segunda colocação do ranking atual, com 50.350 pontos, contra 53.350 do havaiano John John Florence. Para tornar-se campeão, Medina precisa de três combinações de resultados: vencer Pipe Masters e John John Florence ficar em terceiro; ficar em segundo e John John em nono; terminar em quinto e John John em 13º.

O post Com baterias apertadas, Medina e John John avançam em Pipe Masters apareceu primeiro em Gazeta Esportiva.

ver Gazeta Esportiva
#surfe
#wsl
#gabriel medina
#john john florence
#circuito mundial