Cristina Kirchner: “Querem-me calada, mas não vão me assustar”

Facebook
VKontakte
share_fav

Cristina Kirchner não tem dúvidas: o juiz Claudio Bonadio é parte de uma operação para calar sua voz no Senado. A ex-presidenta colocou o seu sucessor, Mauricio Macri, à frente dessa suposta conspiração política, acusando-o de “manipular a Justiça”. “Há instrumentos de uma perseguição política sem precedentes na democracia, em que Mauricio Macri é o diretor da orquestra, e o juiz Bonadio executa a partitura”, disse ela durante uma entrevista coletiva convocada às pressas, horas depois de Bonadio pedir ao Congresso que casse sua imunidade parlamentar e autorize sua detenção por “traição à pátria”. Ela é acusada especificamente de participar de uma trama com outros funcionários públicos para proteger cinco iranianos suspeitos de serem os mentores do atentado à entidade judaica AMIA, que deixou 85 mortos em 1994 em Buenos Aires.

ver El País
#cristina fernández de kirchner
#atentados terroristas
#investigação judicial
#alberto nisman
#buenos aires
#terrorismo
#caso amia