O Whatever Happened to Baby Jane quer unir as minas no clipe de "Teresa"

Facebook
VKontakte
share_fav

O Whatever Happened to Baby Jane chega com trabalho novo e ruidoso na área, dando sequência à sua equação de peso, potência e distorção. Dolores, EP do trio punk-hc capixaba, tem uma pegada parecida com a do primeiro, Inferno de Vida, e é claro o amadurecimento. “Teresa”, mais um lançamento Läjä Records e clipe que o Noisey estreia com exclusividade nesta sexta (8), faz parte de Dolores.

Achei a vibe desse som, especialmente o vocal, meio na linha do Reject All American, do Bikini Kill. Legal. Nele, música e imagens falam de Teresa, “uma mulher inteligente, bonita e forte, mas que às vezes erra e é julgada, o que a faz se sentir fraca”, explicou a banda via messenger.

A narrativa é simples e direta, como a própria música: mostra um dia de passagem de som que termina num show. Enquanto isso, meninas, que seriam várias Teresas, uma delas protagonista, vão fazendo um esquenta antes colar no show e todas acabam se reunindo por lá. O roteiro de Erika Mariano ilustra, assim, o lance da união das minas proposto por Ignez Capovilla (baixo), Lorena Bonna (guitarra) e Vanessa Labuto (bateria).

“No fim, é um pouco de todas nós, que de vez em quando nos sentimos estranhas, mas que sabemos o quão somos consequência de uma sociedade inteira doente. O clipe fala um pouco sobre como é seguir em frente, e expurgar tudo dançando”, define o grupo, que em 2018 pretende gravar mais músicas e tocar em outras cidades. “Este ano foi realmente curto pra fazer tudo o que queríamos”, lamentam.

Se liga aí:

ver Vice Brasil
#hardcore
#punk
#premieres
#läjä records
#music video premieres
#riot grrrl
#whatever happened to baby jane
#rock vila velha
#hc punk