Imagens dos incêndios florestais em Portugal

Facebook
VKontakte
share_fav

Matéria originalmente publicada na VICE Portugal.

De acordo com o veículo português , cerca de 80% da área de Mata Nacional protegida Estado de Portugal, conhecido como "Pinhal Real de Leiria", foi destruída pelo fogo no último domingo (15). Já são mais de 100 focos de incêndios causados por altas temperaturas e a escassez de chuvas nas últimas semanas .

"O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) ainda não revelou a extensão da destruição da Mata Nacional e pinhal protegido do Estado, mas a Câmara da Marinha Grande fez as contas de que cerca de 80% do Pinhal do REI/Pinhal de Leiria desapareceu entre ontem e hoje, destruído pelas chamas", avança o jornal português.

O "Pinhal Real de Leiria" foi plantado a mando do pai de D. Dinis, D. Afonso III (1248-1279) — e não por D. Dinis como se diz mais usualmente — e 700 anos depois, praticamente toda a grande floresta de pinheiro bravo desapareceu, consumida pelas chamas, que ainda continuam sem dar descanso a bombeiros e população local.

"A mata localizada ao sul de São Pedro de Moel, a Mata de São Pedro, a Ponte Nova, o Ponto Novo, o ribeiro de São Pedro, a maior parte do Tremelgo, o Pilado, a Garcia e muitos dos seis quilômetros de floresta de pinhal que separam o Rio Lis da Praia do Pedrógão já não existem", revelou fonte da autarquia da Marinha Grande ao Jornal de Leiria.

31 vítimas mortais foram confirmadas até agora

Os incêndios iniciados no último domingo (15), marcou "o pior dia de incêndios do ano" segundo as autoridades, o que provocou pelo menos 31 mortos e dezenas de feridos, além de terem obrigado a evacuar localidades, a realocar a população local e interditar o trânsito em dezenas de estradas.

De acordo com a Agência Lusa, o primeiro-ministro António Costa anunciou que o Governo anunciou estado de calamidade pública em todos os distritos a Norte do Tejo, "para assegurar a mobilização de mais meios, principalmente a disponibilidade dos bombeiros no combate aos incêndios." Portugal acionou também o Mecanismo Europeu de Protecção Civil e o protocolo com Marrocos, relativos à utilização de meios aéreos.

Segundo o último balanço divulgado nesta segunda-feira (16) pela adjunta da Autoridade Nacional da Protecção Civil (ANPC), Patrícia Gaspar, vítimas foram encontradas nos distritos da Guarda (duas), Coimbra (12), Viseu (16) e Castelo Branco (uma). De acordo com a ANPC, ainda não é possível saber detalhes sobre as circunstâncias em que ocorreram as mortes.

De acordo com a Agência Lusa, a Direção-geral da Saúde (DGS) lembra à população que deve evitar a exposição à fumaça causada pelos incêndios florestais, mantendo-se dentro de casa com janelas e portas fechadas. "É ainda recomendado que sejam evitadas fontes de combustão dentro de casa, como aparelhos a gás ou lenha, velas, incenso ou tabaco."

Ainda de acordo com a DGS, a fumaça causada pelos incêndios florestais tem "altos níveis de partículas e toxinas que podem causar lesões das vias respiratórias, do sistema cardiovascular e oftalmológico".

Vieira de Leiria. Foto por Ricardo Graça/Jornal de Leiria
Vieira de Leiria. Foto por Ricardo Graça/Jornal de Leiria
Vieira de Leiria. Foto por Ricardo Graça/Jornal de Leiria
Vieira de Leiria. Foto por Ricardo Graça/Jornal de Leiria
Vieira de Leiria. Foto por Ricardo Graça/Jornal de Leiria
Vieira de Leiria. Foto por Ricardo Graça/Jornal de Leiria
Vieira de Leiria. Foto por Ricardo Graça/Jornal de Leiria

Segue a VICE Portugal no , no Twitter e no Instagram.

Vê mais vídeos, documentários e reportagens em VICE VÍDEO.

ver Vice Brasil
#incêndios
#floresta
#incêndios florestais
#fogos
#mortos
#última hora
#actualidade
#leiria
#protecção civil
#fogos florestais
#jornal de leiria
#pinhal do rei