Denúncia traz relações inéditas de Temer, por Fernando Limongi

Facebook
VKontakte
share_fav

Categoria:

Artigos

Foto: Carolina Antunes/PR
Jornal GGN - Que o presidente Michel Temer seria absolvido pela Câmara dos Deputados pela segunda vez, ao engavetar a denúncia por obstrução à Justiça e organização criminosa, não era novidade. Mas o noticiário e a opinião pública vêm favorecendo a discrição e o silêncio das acusações, trocando os papéis: Procuradoria-Geral da República vira investigado e cúpula do governo Temer julgador.
Para o professor do departamento de Ciência Política da USP e pesquisador do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), Fernando Limongi, a peça é forte: "vê-se que Janot veio carregado de novidades pinçadas da delação de Lúcio Funaro. Não por acaso, no final da semana, o Planalto soltou nota de ataque ao caráter do doleiro".
Segundo ele, as informações de Funaro, que já caiu em más interpretações após as públicas ameaças e intimidações do delator, trazem informações inéditas que não devem ser ignoradas: o tripé da aproximidade entre Funaro e o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e Michel Temer. Episódios de "ciumeira" teria apimentado conflitos nesta relação.
Imagens para texto

leia mais

ver Blog do Luis Nassif
#luis nassif online
#peça
#fernando limongi
#acusação
#procurador-geral
#presidente
#pgr
#análise
#denúncia
#artigos
#temer
#mandatário