Mais um recorde em “Serviços”, números positivos em todos os segmentos… confira os destaques do 3º trimestre fiscal de 2017 da Apple

Facebook
VKontakte
share_fav
Pilha de moedas/dinheiro

Ontem, 1º de agosto, a Apple divulgou os resultados financeiros do seu terceiro trimestre fiscal de 2017.

Conforme já noticiamos, a receita da empresa ficou em US$45,4 bilhões (+7%), o lucro líquido em US$8,7 bilhões (+11,5%) e os ganhos por ação diluída em US$1,67 (+17,6%).

Os números de vendas de iPhones, iPads e Macs ficaram respectivamente em 41 milhões (+2%), 11,4 milhões (+15%) e 4,3 milhões de unidades (+1%), atingindo receitas de US$24,8 bilhões (+3%), US$5 bilhões (+2%) e US$5,6 bilhões (+7%). Os “Serviços” da empresa (que englobam iCloud, Apple Music, Apple Pay, App Store e outros) tiveram um aumento de 22% nas receitas, totalizando US$7,3 bilhões; já a categoria “Outros” (Apple Watch, Apple TV, AirPods, fones Beats e outros produtos) teve um aumento de 23%, com ganhos de US$2,7 bilhões.

Números do terceiro trimestre fiscal de 2017 da Apple

Números do terceiro trimestre fiscal de 2017 da Apple

Como tradicionalmente acontece, Tim Cook (CEO1) e Luca Maestri (CFO2) participaram de uma conferência em áudio para explicar e falar um pouco mais dos detalhes desses três últimos meses financeiros da Maçã.

Abaixo, você confere todos os destaques!

Comentários gerais

Pilha de moedas/dinheiro

  • Segundo a empresa, o bom resultado financeiro foi alcançado mesmo com um impacto negativo (de 200 pontos base) no câmbio em relação ao mesmo período do ano anterior — por conta da variação cambial especialmente na Europa e na China;
  • O desempenho foi muito forte em todos os setores, com crescimento em todas as categorias de produtos e quase em todos os mercados no mundo;
  • A Apple teve crescimento de dois dígitos em muitos mercados desenvolvidos, incluindo Alemanha, Austrália, Canadá, Coreia, Espanha e Estados Unidos;
  • Os mercados emergentes — fora da Grande China — cresceram 19% ao longo do ano;
  • A margem de lucro bruta da Apple no período foi de 38,5%, no topo da estimativa da empresa;
  • Já a margem operacional foi de 23,7% da receita, enquanto o fluxo de caixa das operações foi de US$8,4 bilhões;
  • A Apple fechou o trimestre fiscal com US$261,5 bilhões em caixa, um aumento sequencial de US$4,7 bilhões;
  • US$246 bilhões desse dinheiro (que representam 94% dele) está fora dos EUA;
  • A Apple devolveu US$11,7 bilhões a investidores durante o trimestre fiscal, pagou US$3,4 bilhões em dividendos e equivalentes, e investiu US$4,5 bilhões em recompras de 30,4 milhões de suas ações por meio de transações de mercado aberto;
  • A empresa já completou US$222,9 bilhões dos US$300 bilhões do Programa de Retorno de Capital, incluindo US$158,5 bilhões em recompra de ações;
  • O Conselho de Administração da companhia declarou um dividendo em dinheiro de US$0,63 por ação de ações ordinárias, a serem pagos em 17 de agosto de 2017 aos acionistas registrados até 14 de agosto de 2017.

iPhone

iPhone 7

  • Os resultados do iPhone foram impressionantes, com uma demanda especialmente forte pelos modelos topos-de-linha;
  • No período, o iPhone 7 foi o aparelho mais popular; as vendas do iPhone 7 Plus aumentaram dramaticamente se comparadas às do 6s Plus no mesmo trimestre do ano passado;
  • No comparativo ano a ano, os iPhones 7 e 7 Plus tiveram um crescimento de dois dígitos;
  • Uma década após o lançamento do primeiro iPhone, a Apple agora já comercializou 1,2 bilhão de aparelhos ao longo da história do smartphone;
  • A Apple reduziu o estoque do iPhone para 3,3 milhões de unidades; trata-se do menor nível em dois anos e meio;
  • Tal estoque serviria à Apple por 5-7 semanas, o que reforça a possibilidade de vermos novos iPhones sendo lançados no meio/fim de setembro (como tradicionalmente acontece);
  • As vendas aumentaram ano a ano na maioria dos mercados, com muitos (Ásia, América Latina e Oriente Médio) aumentando mais de 25%;
  • A Apple está muito satisfeita com o resultado do iPhone no trimestre fiscal, especialmente levando em consideração a difícil comparação com o FQ3 2016, quando ela lançou o iPhone SE (que sem dúvida impulsionou as vendas);
  • O ASP3 foi de US$606, acima dos US$595 do ano passado, graças à forte demanda pelo iPhone 7 Plus, que representou uma porcentagem maior do mix de iPhone em comparação com o modelo Plus há um ano;
  • Nos EUA, dados da 451 Research indicam que a satisfação de clientes com o iPhone está em 95% (iPhone 7) e 99% (iPhone 7 Plus);
  • Entre os consumidores que planejam comprar um smartphone, a intenção de compra para o iPhone foi quase três vezes a taxa do concorrente mais próximo;
  • Entre os compradores corporativos de smartphones a satisfação foi de 94% e, daqueles que planejam comprar smartphones no próximo trimestre, 78% querem um iPhone.

iPad

iPad

  • O iPad teve um trimestre fiscal muito positivo, com crescimento em unidades, receita e participação de mercado;
  • As vendas do iPad cresceram em todos os segmentos geográficos — com fortes aumentos de dois dígitos em mercados-chave (Alemanha, EUA, França, Grande China e Japão);
  • A Apple teve a maior participação de mercado global em mais de quatro anos, com base na última estimativas da IDC sobre os resultados do mercado de tablets no trimestre de junho;
  • Em mercados como a China e o Japão, mais da metade dos iPads foram vendidos para pessoas que compram o seu primeiro iPad;
  • As vendas de iPads foram especialmente fortes no mercado de educação americano, subindo 32% ano a ano — para mais de 1 milhão de unidades;
  • As escolas públicas de Saint Paul, em Minnesota, vão adquirir mais de 40.000 iPads para professores e alunos;
  • Já a Shawnee Mission School District, fora de Kansas City, adquiriu recentemente 19.000 iPads, estendendo o seu programa iniciado em 2014;
  • Segundo a NPD, o iPad teve uma participação de 55% no mercado americano de tablets no mês de junho — contra 46% há um ano;
  • Entre os dez tablets mais vendidos, oito são iPads;
  • Entre os tablets que custam mais de US$200 (em que a Apple compete), a participação do iPad foi de 89%;
  • A pesquisa mais recente da 451 Research indicou que o nível de satisfação de clientes (domésticos e corporativos) com o tablet varia de 95% a 99%;
  • Entre aqueles que planejam comprar tablets, a intenção de compra para o iPad foi superior a 70%;
  • O Walmart implantará mais de 19.000 iPads para treinamento de empregados em 50 Estados americanos, com projeções de mais de 225.000 associados treinados em iPads até o fim do ano;
  • Segundo a Apple, a resposta inicial das empresas para o iOS 11 e o novo iPad Pro foi incrível;
  • Algumas empresas, incluindo o Bank of America, a Medtronic e a Panera Bread, disseram que vão adquirir e implementar iPads Pro de 10,5″ em todas as áreas-chave das suas organizações.

Mac

Macs

  • O Mac ganhou participação no mercado global, atingindo números recordes de vendas na China continental e no Japão;
  • A receita do Mac cresceu 7% ano a ano, impulsionada pela força dos novos MacBooks Pro com Touch ID e do iMac — apesar da última estimativa da IDC de uma contração de 4% no mercado global de PCs;
  • Segundo a Apple, com quase toda a linha de Macs atualizada (com exceção do Mac Pro e do Mac mini), a empresa está muito bem posicionada para a temporada de volta às aulas (nos EUA);
  • A satisfação de clientes com o Mac está em 97%, segundo pesquisa da 451 Research;
  • A base instalada de Macs cresceu dois dígitos, levando em conta os últimos 12 meses.

Serviços (App Store, Apple Music, Apple Pay, iCloud, etc.)

Apple Music

  • A receita de Serviços atingiu um recorde trimestral histórico (US$7,3 bilhões);
  • A categoria teve um ótimo desempenho em todo o mundo, com crescimento de dois dígitos em todos os segmentos geográficos;
  • Ao longo dos últimos 12 meses, os Serviços conseguiram atingir o tamanho de uma empresa da Fortune 100 — segundo a Apple, um marco alcançado mais cedo do que o esperado;
  • A App Store foi um dos principais impulsionadores desse desempenho — de acordo com o último relatório da App Annie, ela continua sendo por uma ampla margem o destino preferido para compras, gerando quase o dobro da receita do Google Play;
  • As receitas do Apple Music e do armazenamento do iCloud também cresceram bastante;
  • Em todas as ofertas de serviços, o número de assinaturas pagas atingiu mais de 185 milhões, um aumento de quase 20 milhões nos últimos 90 dias;
  • Dinamarca, Emirados Árabes Unidos, Finlândia e Suécia receberão o Apple Pay ainda neste ano — isso mesmo, nada de Brasil em 2017;
  • O Apple Pay é, de longe, o serviço de pagamento NFC4 #1 em dispositivos móveis, com quase 90% de todas as transações em todo o mundo5;
  • O momento do Apple Pay é muito forte em mercados internacionais, onde a infraestrutura para pagamentos móveis se desenvolveu mais rapidamente do que nos EUA — 75% das transações do Apple Pay ocorrem fora dos EUA.

Outros produtos (Apple Watch, Apple TV, AirPods, fones da Beats, etc.)

Apple Watch

  • As vendas da Apple Watch cresceram mais de 50% no trimestre fiscal;
  • Trata-se do smartwatch #1 no mundo (em vendas) por uma margem muito ampla;
  • Segundo a Apple, o Watch está tendo um impacto positivo na vida/saúde das pessoas, que agora se movimentam mais, sentam-se menos e fazem mais exercícios.
  • Os AirPods têm hoje um índice de satisfação de 98%, com base em uma pesquisa da Creative Strategies;
  • A Apple aumentou a capacidade de produção dos AirPods e está tentando, de todas as formas, disponibilizar mais unidades para clientes — mesmo assim, a demanda ainda está muito maior do que a oferta.

Apple Stores

Inauguração da Apple Taipei 101

Inauguração da Apple Taipei 101

  • As lojas da Apple receberam, no total, mais de 300 milhões de visitantes;
  • A empresa recentemente abriu as suas primeiras lojas em Singapura e em Taiwan, atingindo agora um total de 497 localidades em todo o mundo;
  • A iniciativa “Today at Apple” contou com 87 mil sessões durante todo o trimestre fiscal.

Diversos assuntos

Swift Playgrounds 1.5, agora com possibilidade de controlar robôs, drones e mais!

  • Mais de 1,2 milhão de estudantes de todas as idades usam agora o iPad e o Swift Playgrounds para aprender os fundamentos da programação;
  • Mais de 1.000 escolas do K-12 (Ensino Médio) nos Estados Unidos planejam usar o programa “Everyone Can Code” (“Todo Mundo Pode Programar”) da Apple em seus currículos, em breve;
  • A Apple lançará em breve o curso anual “Desenvolvimento de aplicativos com Swift” para alunos do Ensino Médio e da comunidade que desejam prosseguir carreiras na área — trata-se de um currículo inovador, gratuito, elaborado por engenheiros e educadores da Apple para escolas a fim de ensinar estudantes a programar e projetar aplicativos totalmente funcionais, ganhando habilidades críticas em desenvolvimento de software e tecnologia da informação;
  • Sobre o ARKit, a Apple acredita que ele ajudará as mentes mais criativas da indústria a usar as mais recentes tecnologias para criar conteúdo atraente;
  • A realidade aumentada possui uma abrangente aplicabilidade geral (educação, entretenimento, jogos interativos, empresas e categorias diversas);
  • Com centenas de milhões de pessoas ativamente usando iPads e iPhones atualmente, o iOS se tornará a maior plataforma de realidade aumentada do mundo assim que o iOS 11 for liberado;
  • A SAP lançou o Success Factors Mobile, seu primeiro aplicativo iOS nativo para Recursos Humanos, que suportará 47 milhões de usuários de iPhone e iPad em todo o mundo em várias indústrias;
  • A parceria da Apple com a Deloitte expandiu-se recentemente para mais sete países europeus.

Perguntas e respostas

Perguntado se poderia comentar mais sobre a possibilidade de a Apple abrir três fábricas nos Estados Unidos comentada por Donald Trump, Cook respondeu de uma forma bem indireta — dizendo que a empresa está trabalhando para gerar ainda mais empregos nas três frentes possíveis (ecossistema do iOS, cadeia de fornecimento para produtos da Apple e a força de trabalho da própria empresa). No geral, a Maçã está bastante orgulhosa dos mais de 2 milhões de empregos que já criou e está bastante animada com o fundo de investimento que lançou para ajudar nesta tarefa.

Sobre a relação da Apple com a China e o motivo de a empresa colaborar com o governo, Cook respondeu de forma bem direta — algo que nós cobrimos neste artigo que aborda diretamente o assunto.

Sobre a Apple TV (que Cook já falou inúmeras vezes ser uma área de grande interesse da Apple, mas que nem ao menos foi comentada pela empresa) e conteúdos originais, o CEO respondeu que a empresa tem experimentando conteúdo original 100% focada no Apple Music, mas que tudo não deixa de ser um grande aprendizado — quem sabe para outros negócios.

Atualmente, temos mais alguns [programas e séries] que estão sendo lançados em uma semana ou mais, que estarão disponíveis na Apple Music. O objetivo disso é realmente duplo. Um é para o nosso próprio aprendizado, já que somos novos nessa área de vídeo em termos de criação; e, dois, é dar aos nossos assinantes do Apple Music um conteúdo exclusivo e esperar que isso cresça a nossa base de assinantes.

Recentemente contratamos duas pessoas fantásticas com muita experiência na criação de conteúdo, como Breaking Bad e The Crown, e um conteúdo realmente de primeira qualidade, então, veremos como essa área vai. Ainda é uma área de grande interesse.

Tim Cook

Sobre sistemas autônomos, Cook reforçou que a Apple está muito focada em sistemas autônomos do ponto de vista da tecnologia.

Temos um grande projeto em andamento e estamos fazendo um grande investimento nisso. Do nosso ponto de vista, a autonomia é uma espécie de mãe de todos os projetos de IA [inteligência artificial]. Sistemas autônomos podem ser usados de diversas maneiras, e um veículo é apenas um. Existem muitas áreas diferentes. Eu não quero ir mais longe com isso.

Sobre realidade aumentada (e como a empresa vê isso do ponto de vista de negócio), o executivo teceu o seguinte comentário:

Eu não poderia estar mais entusiasmado com AR e o que estamos vendo com a ARKit nos primeiros passos. Para responder à sua pergunta sobre a categoria na qual ela se inicia, basta dar uma olhada no que há na web em termos do que as pessoas estão fazendo — e isso está em todos os lugares. De entretenimento a jogos, eu vi o que eu chamaria de soluções para pequenas empresas, vi soluções para consumidores, vi soluções empresariais. Eu acho que AR é grande e profundo. Esta é uma daquelas coisas enormes que vamos olhar para trás e maravilhar-se com o início. Eu acho que os clientes vão vê-lo de várias maneiras. Empresas demoram um pouco mais às vezes para começar, mas posso dizer que já há muita animação. Eu acho que vamos começar a ver algumas aplicações também. É ótimo fazer com que isso aconteça em um nível que possa permitir que desenvolvedores abracem a ideia. Eu não poderia estar mais entusiasmado com isso.

Previsões para o quarto trimestre fiscal (FQ4) de 2017

Para o quarto trimestre fiscal de 2017, a Apple espera uma receita entre US$49 e US$52 bilhões, uma margem bruta entre 37,5% e 38%, gastos operacionais entre US$6,7 e US$6,8 bilhões, outras receitas/(despesas) de US$500 milhões e uma taxa de impostos de 25,5%.

via MacRumors

ver Mac Magazine
#investimento
#tim cook
#ipad
#airpods
#apple watch
#trimestre fiscal
#recorde
#trimestre
#luca maestri
#segmento
#categoria
#conteúdo original
#perguntas e respostas
#sistemas autônomos
#terceiro trimestre fiscal de 2017