Rumores atrapalhando as vendas, recorde em “Serviços”, Apple Watch e AirPods bombando… confira os destaques do 2º trimestre fiscal de 2017 da Apple

Facebook
VKontakte
share_fav
Dólar

Ontem, 2 de maio, a Apple divulgou os resultados financeiros do seu segundo trimestre fiscal de 2017!

Conforme noticiamos, a receita da empresa ficou em US$52,9 bilhões (+4,7%), o lucro líquido em US$11 bilhões (+4,7%) e os ganhos por ação diluída em US$2,10 (+10,5%). Os números de vendas de iPhones, iPads e Macs ficaram respectivamente em 50,8 milhões (-1%), 9 milhões (-13%) e 4,2 milhões de unidades (+4%). Os “Serviços” da empresa (que englobam iCloud, Apple Music, Apple Pay, App Store e outros) tiveram um aumento de 18% nas receitas, totalizando US$7 bilhões; já a categoria “Outros” (Apple Watch, Apple TV, AirPods, fones Beats e outros produtos) teve um aumento incrível de 31%, com ganhos em US$2,9 bilhões.

Resumo dos números da Apple no Q2 2017

Como sempre, Tim Cook (CEO1) e Luca Maestri (CFO2) participaram de uma conferência em áudio para explicar e falar um pouco mais dos detalhes desses três últimos meses financeiros da Maçã. Abaixo, você confere todos os destaques!

Comentários gerais

  • Na Grande China, a divisão de Macs e de Serviços cresceu — em receitas — dois dígitos no trimestre;
  • As lojas de varejo por lá também fizeram bonito, com aumento de receitas na casa de 27% — num comparativo de loja por loja, as receitas subiram 7%;
  • Durante os dois primeiros trimestres do ano fiscal de 2017, os números da Apple melhoraram bastante na China se comparados aos dois últimos trimestres; a receita do primeiro semestre, contudo, caiu 13% ano a ano, cerca de um terço dos quais devido à flutuação cambial;
  • No segundo trimestre do ano passado, a queda foi de 32%; os resultados de agora estão dentro das expectativas da empresa e semelhantes ao desempenho ano a ano do trimestre de dezembro; a Apple continua entusiasmada com as oportunidades na China;
  • A receita da Apple na Índia cresceu dois dígitos; a Apple continua reforçando sua presença local no país, que tem uma população enorme, jovem e experiente em tecnologia; a economia por lá também está crescendo de forma acelerada, assim como as melhorias em infraestrutura nas rede 4G (o que abre oportunidades para o iPhone);
  • A Apple também cresceu dois dígitos na Alemanha, na Austrália, no Canadá, nos EUA, na Holanda, no México e na Turquia;
  • No Brasil, na Coreia, na Escandinávia, na Europa Central/Oriental, no Oriente Médio e na Tailândia, o crescimento foi bem superior a 20%;
  • A empresa já usou US$211,2 bilhões do Programa de Retorno de Capital (orçado inicialmente em US$250 bilhões), incluindo US$151 bilhões em recompras de ações;
  • A Apple aumentou novamente o pagamento de dividendos — o quinto aumento em menos de cinco anos;
  • O Programa de Recompra de Ações também foi atualizado em mais US$50 bilhões, totalizando agora US$300 bilhões; para isso, o prazo foi estendido até março de 2019;
  • 96% da eletricidade usada nas instalações globais da Apple vieram de fontes de energia renováveis, reduzindo as emissões de carbono em quase 585 mil toneladas métricas; a Apple agora é 100% verde em 24 países, incluindo todos os centros de dados;
  • Citando o Apple Park como um investimento nos EUA, Cook afirmou que muitos outros virão; através dos seus produtos e do sucesso dos negócios da empresa, a Apple suporta agora 2 milhões de empregos em todos os 50 Estados;
  • No último ano fiscal, a empresa desembolsou mais de US$50 bilhões nos Estados Unidos com fornecedores, desenvolvedores e parceiros americanos;
  • A margem de lucro da empresa ficou em 38,9% — contra 38,5% do trimestre passado;
  • A Apple estabeleceu um novo recorde de receitas empresariais para o trimestre, enquanto as parcerias com SAP, Cisco, IBM continuam rendendo bons frutos;
  • A Apple encerrou o trimestre com US$256,8 bilhões em caixa mais títulos negociáveis, um aumento seqüencial de US$10,8 bilhões; desses, 93% (ou US$239,6 bilhões) estão fora dos EUA.

iPhones

  • As vendas do iPhone ficaram dentro do esperado pela empresa;
  • A base instalada ativa de usuários de iPhones cresceu dois dígitos no comparativo ano a ano;
  • De acordo com os dados da firma IDC, a Apple ganhou fatia de mercado em quase todos os países onde atua durante o trimestre;
  • A demanda pelo “novo” iPhone (PRODUCT)RED Special Edition está muito boa;
  • O mercado do iPhone teve um crescimento bastante sólido em quatro dos cinco segmentos operacionais da Apple, com resultados especialmente fortes na Europa Ocidental, no Oriente Médio e no resto do segmento Ásia-Pacífico — em todas essas áreas as vendas do iPhone subiram dois dígitos;
  • O preço médio de venda do iPhone subiu de US$642 (há um ano) para US$655, graças aos bons números de vendas dos modelos Plus;
  • De acordo com a firma 451 Research, as taxas de satisfação de usuários do iPhone 7 e do iPhone 7 Plus estão respectivamente em 96% e 98%; entre consumidores corporativos, ela está em 95%;
  • Dentre os que estão planejando adquirir um smartphone no trimestre fiscal atual, 79% planejam adquirir um iPhone;
  • A Volkswagen recentemente selecionou o iPhone como o seu smartphone padrão; assim, 620.000 empregados da empresa ao redor do mundo passarão a utilizar o aparelho da Apple;
  • Já o Capital One capacitou os seus associados com Macs e Apple Watches, e criou mais de 40 aplicativos nativos para iOS que agora rodam em quase 30.000 iPhones e iPads.

iPads

  • A resposta ao novo iPad (de quinta geração) tem sido muito boa, segundo Cook;
  • Por incrível que possa parecer, Maestri afirmou que o resultado dos iPads superou as expectativas da empresa;
  • A Apple ganhou participação em vários mercados importantes, incluindo os EUA, o Japão e a Austrália;
  • A receita da divisão dos iPads também tem crescido nos últimos quatro trimestres;
  • O iPad continua a ser o tablet mais popular do mundo e é o principal dispositivo de computação para milhões de clientes espalhados pelo globo;
  • De acordo com a NPD, o iPad tem 81% da fatia de mercado de tablets acima de US$200 (mercado no qual ele compete);
  • Já de acordo com a 451 Research, o índice de satisfação de usuários dos iPads Pro de 9,7″ e 12,9″ no trimestre ficou respectivamente em 95% e 100%; dentre usuários americanos que estão planejando adquirir um novo tablet nos próximos seis meses, 69% pretendem comprar um iPad; a satisfação entre usuários corporativos ficou em 96%, enquanto a porcentagem de usuários corporativos que pretendem adquirir um novo tablet da Maçã ficou em 68%.

Macs

  • Com crescimento de 14% nas receitas, a divisão de Macs bateu um novo recorde para o segundo trimestre fiscal da empresa; enquanto isso, as vendas gerais de PCs se mantiveram estáveis, sem crescimento (de acordo com números da IDC);
  • A Apple ganhou market share graças à boa recepção aos novos MacBooks Pro; aliás, graças as boas vendas dos MBPs, a Apple viu um crescimento de 10% no meu segmento de notebooks — enquanto o mercado como um todo só cresceu 5%;
  • Nos últimos quatro trimestres fiscais (ou seja, um ano fiscal), a divisão de Macs angariou US$25 bilhões em receitas;
  • Continuando o seu discurso “vazio” sobre o futuro da linha, Cook mencionou que a Apple está investindo agressivamente no futuro do Mac e que está muito entusiasmada com a inovação que poderá trazer para a plataforma.

Serviços

  • Com receita de US$7 bilhões, a categoria “Serviços” está caminhando para se equiparar a uma empresa listada na Fortune 100;
  • Maestri comentou que a Apple quer dobrar as receitas da divisão “Serviços” até 2020;
  • Num comparativo ano a ano, a App Store cresceu incríveis 40%, atingindo um novo recorde; o valor médio gasto por usuário também tem aumentado, segundo a empresa, assim como o número de contas pagantes;
  • De acordo com os números da firma App Annie, a App Store gerou o dobro de receita do Google Play no trimestre fiscal;
  • O número de desenvolvedores vendendo apps na loja cresceu 26% se comparado há um ano;
  • A Apple presenciou um crescimento de dois dígitos nas receitas com as assinaturas do Apple Music e dos planos de armazenamento do iCloud;
  • O número de usuários com algum tipo de assinatura dos serviços da Apple (Apple Music e armazenamento do iCloud, por exemplo) está em 165 milhões;
  • O Apple Pay agora está disponível em 15 países; são mais de 20 milhões de estabelecimentos aceitando o serviço de pagamento da Apple, sendo 4,5 milhões apenas nos EUA; o volume de transação aumentou 450% nos últimos 12 meses;
  • No Reino Unido, por exemplo, os pontos de aceitação cresceram 44% em um ano, enquanto as transações mensais do Apple Pay cresceram quase 300%; no Japão, mais de meio milhão de usuários estão realizando 20 milhões de transações mensais;
  • Já sobre o iMessage, Cook compartilhou um dado interessante: durante o Super Bowl, em fevereiro, usuários enviaram 380.000 mensagens por segundo — mais do que o dobro do mesmo período em 2016.

Lojas da Apple

  • Com a inauguração da Apple Dubai Mall, a empresa agora tem 495 lojas espalhadas em 18 países (Hong Kong e Macau, como sabemos, fazem parte da República Popular da China);
  • A segunda loja de Dubai, aliás, foi descrita por Cook como uma realmente internacional, já que empregados falam um total de 45 idiomas;
  • As lojas da Apple (físicas e online) cresceram em praticamente todas as regiões, atingindo 18% de crescimento global; o número de visitantes aumentou 16% em relação ao ano passado.

Outros

  • As vendas do Apple Watch praticamente dobraram de 2016 para 2017;
  • O Apple Watch é o smartwatch mais amado e vendido do mundo, e a Apple não se cansa de ouvir histórias maravilhosas de clientes que de alguma forma foram impactados pelas capacidades fitness e de saúde do relógio;
  • Conforme noticiamos, os AirPods estão com um índice de satisfação incrível, na casa dos 98%;
  • A demanda pelos AirPods continua excedendo a oferta e o crescimento dos produtos da Beats também tem sido muito forte;
  • Se combinados, Apple Watch, AirPods e produtos da Beats (produtos que a Apple considera e categoriza como “vestíveis”), as receitas nos últimos quatro trimestres atingem o tamanho de uma empresa da Fortune 500;

Perguntas e respostas

  • Katy Huberty (da Morgan Stanley) perguntou se a Apple apresentou algo no lançamento do iPhone 7 e da intensa procura pelo modelo Plus, que ficou bastante tempo em falta no mercado; Cook respondeu que de fato a procura pelo modelo maior foi bem mais forte do que o previsto, e que demorou um pouco para tudo se equilibrar no inicio do ano — e que a Apple sempre aprende com esses lançamentos;
  • Perguntado sobre o desempenho da Apple na China, Cook comentou que sete das dez lojas mais visitadas da Apple no mundo ficam no país;
  • Já sobre o mercado de wearables, Steve Milanovich (da UBS) pediu que Cook comentasse um pouco a oportunidade nesse mercado; Cook então disse que o Apple Watch é estratégico para a Apple, e a empresa sabia disso desde antes de lançá-lo; as vendas do produto dobraram em seis dos dez mercados mais importantes;
  • Questionado sobre uma pesquisa da 451 Research que comentou o declínio na taxa de retenção do iPhone, Cook comentou que estão vendo o que ele acredita ser uma pausa nas compras de iPhones devido aos rumores cada vez mais frequentes sobre futuros aparelhos;
  • Sobre a questão envolvendo a retenção de pagamentos à Qualcomm, Cook disse:

Você não pode pagar algo quando há uma disputa sobre o montante. Você não sabe quanto pagar. E então, você sabe, eles acham que devemos uma quantia e nós achamos que devemos uma quantia diferente. E não houve uma reunião de cabeças lá e, assim, neste momento, nós precisamos que os tribunais decidam isso. A menos que nós sejamos capazes de, ao longo do tempo, resolver isso entre nós decidindo o montante. Mas, agora, estamos dependendo dos tribunais para fazer isso. Assim que é o pensamento. A razão pela qual estamos perseguindo isso é que a Qualcomm está tentando cobrar à Apple uma porcentagem do valor total do iPhone, e eles fazem um trabalho muito grande em torno de patentes essenciais.

Mas é uma pequena parte do que é um iPhone. Não tem nada a ver com a tela ou com o Touch ID ou um montão de outras inovações que a Apple tem feito. E assim nós não achamos que isso é certo. Estamos tomando uma posição de princípios com eles e acreditamos fortemente que estamos certos. Eu tenho certeza de que eles acreditam que estão. É por isso que os tribunais existem e vamos deixá-los resolver isso.

  • Sobre vendas e upgrades de iPhones, Cook mencionou que, neste primeiro semestre fiscal da Apple, a empresa presenciou o maior número absoluto de upgrades já visto — o maior número absoluto de migração (Android para iOS) fora da Grande China.

Gráficos

Gráficos do segundo trimestre fiscal de 2017 da Apple

· · ·

Gráficos do segundo trimestre fiscal de 2017 da Apple

· · ·

Gráficos do segundo trimestre fiscal de 2017 da Apple

· · ·

· · ·

Gráficos do segundo trimestre fiscal de 2017 da Apple

· · ·

Gráficos do segundo trimestre fiscal de 2017 da Apple

· · ·

Gráficos do segundo trimestre fiscal de 2017 da Apple

· · ·

Gráficos do segundo trimestre fiscal de 2017 da Apple

· · ·

Gráficos do segundo trimestre fiscal de 2017 da Apple

Previsões para o próximo trimestre

Para o terceiro trimestre fiscal de 2017, a Apple espera uma receita entre US$43,5 e US$45,5 bilhões, uma margem bruta entre 37,5% e 38,5%, gastos operacionais entre US$6,6 e US$6,7 bilhões, outras receitas/(despesas) de US$450 milhões e uma taxa de impostos de 25,5%.

[via iMore, MacRumors, MacStories]

ver Mac Magazine
#tim cook
#ipad
#mac
#airpods
#apple watch
#trimestre fiscal
#recorde
#luca maestri
#gráficos
#desempenho
#top
#fq2 2017