Em São Paulo, Evanescence surpreende ao esbanjar boa forma como se fosse 2003

Facebook
VKontakte
share_fav

(Foto: Gabriel Quintão) Evanescence

Leia mais

Teve Everybody’s Fool, My Immortal, Sober, Bring Me To Life e terminou com Whisper o setlist que o Evanescence apresentou neste domingo, 23, no Espaço das Américas, em São Paulo. Hits que fazem parte da história de vida dos fãs que lotaram o local em uma noite fria e foram cantados a plenos pulmões como se o mundo estivesse acabando ali mesmo. Mas, o que impressionou foi que, para o grupo norte-americano, e principalmente para Amy Lee, o tempo não passa. Quer dizer, passa, mas eles não sentem; vocalista e banda continuam esbanjando boa forma como se fosse 2003.

Amy, que é a cara e a voz da banda, é um caso a ser estudado; além de manter o vozeirão doce e lírico extremamente potente, tocar piano muito bem e comandar uma apresentação de quase duas horas, mostrou que seus 35 anos mais parecem 23 em cima do palco. Ela corre, pula, bate o cabelo, faz gestos e com certeza deve dormir no formol, porque sua aparência continua igualzinha de quando a assistíamos dominando o extinto Disk MTV.

O Evanescence pode não ter mais o estrondoso sucesso de quinze anos atrás, mas mostra que o tempo está ao seu lado e não vê problema com o passar dos anos. Muito pelo contrário, ele é seu amigo.

ver Virgula
#evanescence
#amy lee