Conselhos de avós belgas amantes de cerveja para quem gosta de beber

Facebook
VKontakte
share_fav

Esta matéria foi originalmente publicada no MUNCHIES Holanda .

Muitos bares na Holanda têm uma grande seleção de cervejas artesanais. Homens barbudos de calça de veludo e mulheres com pequenas taças douradas sentam nos balcões aqui para escolher uma bebida entre as extensas listas de cerveja. Para quem prefere lager, os apreciadores de cervejas artesanais, cegos em sua paixão pela bebida, acabam parecendo meio bobos. Mas cervejas artesanais se tornaram o novo normal para o millennial holandês médio.

Na Bélgica, onde nasci, a expressão "cerveja artesanal" não existia até recentemente. Há vários jovens fabricantes que usam a criatividade para misturar cevada e especiarias (por exemplo, um moleque de 15 anos que, atualmente, ainda é jovem demais para provar a própria cerveja), mas os belgas sempre fizeram ótimas cervejas.

Leia também: "Tomei uma cerveja que não dá ressaca e realmente funciona"

A melhor prova disso pode ser encontrada nos porões e geladeiras das nossas avós. Na Bélgica, elas são conhecidas por sempre terem um estoque generosos de ótimas cervejas em casa, que elas bebem quase diariamente. Visitei algumas avós cervejeiras para conhecer suas despensas e pedir alguns conselhos.

Denise (83 anos)

VICE: Oi, Denise, que cervejas você sempre tem em casa?
Denise: Tenho sempre algumas claras e escuras Leffe e St. Bernard no porão, e algumas Rodenbach que uso para preparar coelho ou guisado. E também tenho algumas pilsen, mas ninguém gosta muito dessas. É mais para os jovens.

Você não gosta muito de pilsen?
Não, cerveja pilsen não tem muito sabor nem malte suficiente. Não sei o que meus netos veem nisso. Bom, eles também bebem cerveja de lata em vez de garrafa. Não sei por quê — talvez porque estudantes gostam de jogar as latas por aí? Mas sou contra. Se os jovens querem beber alguma coisa aqui em casa, é bom colocarem num copo primeiro!

Qual sua cerveja preferida?
Gosto de todas, mas a St. Bernard escura com 6% de teor alcoólico é definitivamente minha favorita. Eu costumava tomar mais cervejas trapistas, com 12% de álcool. Meus filhos brincam: "Ma, agora você precisa tomar duas! Duas de seis é o mesmo que uma de 12!"

Quando você gosta de tomar uma boa cerveja?
À noite com um delicioso sanduíche e um bom pedaço de queijo.

O estereótipo da nossa geração é que mulheres bebem vinho e homens bebem cerveja. Sua geração parece ser completamente diferente.
Quando eu era jovem, logo depois da guerra, não tinha muito vinho por aqui. A gente comprava cervejas em garrafas grandes no bar, e bebíamos como se fosse água. Isso te deixava forte. Olhe pra mim: não tomo nenhum remédio e nado e faço ginástica toda semana. Cerveja é saudável! Mas, por favor, não exagere como os jovens fazem hoje. Eles bebem para ficar bêbados, não pelo sabor — mas uma cerveja toda noite não faz mal. Quando visito alguém no asilo, sempre levo cerveja, e os velhos que estão no hospital se beneficiam mais com uma cerveja do que com uma tigela de mingau com leite. Confie em mim!

"Os velhos que estão no hospital se beneficiam mais com uma cerveja do que com uma tigela de mingau com leite. Confie em mim!"

Hoje em dia, muita gente jovem começou a fazer cervejas artesanais.
Quando vou até a loja de bebidas hoje, eles têm várias prateleiras com centenas de tipos de cerveja. Mas dificilmente experimento algo novo. Meus filhos provam, mas na minha idade eu não quero.

Você tem algum conselho para os jovens sobre cerveja?
Cerveja escura não deve ficar na geladeira, ela perde o sabor. Vejo muito isso em bares, e isso me deixa puta. Cerveja boa tem uma boa espuma. Se a espuma desaparece imediatamente, o copo não está limpo. Quando sirvo cerveja em casa, sempre tenho um pano de prato por perto para enxugar o copo.

Maria (82 anos)

Quando seu amor por cerveja começou?
Maria: Quando eu era uma jovem mãe e às vezes tinha que passar roupa um dia inteiro, como acaba acontecendo com quem tem uma família grande. E eu sempre bebi cerveja, que é muito mais refrescante e gostosa que café.

Que cervejas você tem em casa?
Sempre tenho cerveja Kriek no porão, e algumas outras cervejas artesanais na geladeira que ganhei de presente no Ano Novo. Quando jogo baralho, prefiro Trappist com um pouco de grenadina (uma espécie de groselha), para tirar um pouco do amargor. Essas são bem fortes, então uma já é suficiente.

Você tem alguma dica para a nova geração?
Bom, se você for beber uma cerveja forte, é bom comer bem antes. Nunca beba de estômago vazio, como eles dizem aqui. Coma um bom bife ou algo assim — é melhor.

Dina (78 anos)

Que cerveja a senhora costuma ter em casa?
Dina: Hoegaarden, Leffe e Grimbergen. Agora que estou mais velha, dou menos festas e compro menos cerveja, mas sempre tenho essas aqui em casa. Infelizmente, hoje tenho que comprar Hoegaarden de lata, porque as garrafas ficaram muito pesadas para carregar, mas sempre bebo num copo quando chego em casa. Um copo lindo para a sua cerveja é a coisa mais importante.

E qual é sua favorita?
Há 20 anos, bebo uma Hoegaarden por volta das seis da tarde com um sanduíche de queijo. Cerveja de trigo é muito mais gostosa que café e não é tão forte, então é perfeita para a refeição. Minha mãe sempre gostou de beber um copo de cerveja no jantar, então acho que puxei isso dela.

Cervejas artesanais estão ganhando cada vez mais popularidade. O que você acha disso?
Sim, vejo isso com os meus filhos. É bom ter tantos tipos, assim você pode descobrir do que gosta mais. Mas tem uma diferença clara entre a minha geração e a nova: só conhecemos alguns tipos de cerveja e somos fiéis. Não experimentamos coisas novas com frequência. Os jovens são mais experimentais; se tem algo novo, eles precisam provar.

"Quando eu era jovem, você só podia ir a um bar acompanhada de um garoto. Agora as garotas vão sozinhas e experimentam todo tipo de cerveja."

Há, o que também é legal: meninas que bebem mais cerveja que os meninos. Quando eu era jovem, você só podia ir a um bar acompanhada de um garoto. Agora as garotas vão sozinhas e experimentam todo tipo de cerveja.

Você tem algum conselho para os mais jovens na hora de beber?
Sempre espero um pouco para tomar minha cerveja, quando ela fica com um pouco menos de espuma, mas talvez isso seja algo pessoal. E sempre falo para os meus netos nunca deixarem sua cerveja na mesa quando forem ao banheiro. Tenho medo que alguém batize a bebida deles.

Mia (83 anos) e Katje (88)

Oi, ouvi dizer que vocês são melhores amigas aqui na casa de repouso. Vocês costumam beber cerveja juntas?
Mia: Às vezes, sim.
Katje: Preferimos a Kriek. Só uma, se não ficamos de pileque.
Mia: Duas é o limite mesmo, ou eu posso ficar meio tonta.

PULL QUOTE: "Mais velha, mais sábia, dizem. Agora bebo cerveja de um jeito diferente, mais para desfrutar o sabor do que para ficar bêbada."

Isso acontece às vezes?
Mia: Com certeza. Eu costumava ficar bêbada com mais frequências, mas desde que me casei não tanto. Mais velha, mais sábia, dizem. Agora bebo cerveja de um jeito diferente, mais para desfrutar o sabor do que para ficar bêbada.

Muitas cervejas têm nomes engraçados: Pirate, Deugniet, Dikke Nek, Sloeber.
Mia: Há há! Nunca ouvi falar disso. São cervejas? Existem mesmo? Dá próxima vez que eu for ao pub vou pedir uma Deugniet.
Katje: E pra mim uma Dikke Nek.
Mia: O que você acha do nome Kivelä? Essa é uma de que gosto bastante: cerveja com limonada e grenadina. Uma delícia.

Vocês têm algum conselho para os jovens na hora de beber?
Mia: Se você não beber, seu copo continua cheio.
Katje: Isso mesmo!

Monique (78 anos)

Oi, Monique. Fale um pouco sobre seu amor por cerveja.
Monique: Toda segunda-feira eu vou com meu marido até Westvleteren, a 35 quilômetros daqui, para beber cerveja escura Westvleteren. A Twaalf é nossa favorita. Tomamos uma ou duas comendo um sanduíche, depois voltamos para casa.

E em casa?
Sempre bebemos meio copo de Rochefort 8 no começo da tarde, e lá pelas 4 horas outro meio copo. Se você não exagerar, cerveja forte não faz mal.

Saúde!

Tradução do inglês por Marina Schnoor.

Siga a VICE Brasil no , Twitter e Instagram.

ver Vice Brasil
#cerveja artesanal
#avós
#terceira idade
#moderação
#alcool
#munchies
#tipos de cerveja
#pileque