Queimada viva em nome de Deus: o suplício da nicaraguense jogada numa fogueira

Facebook
VKontakte
share_fav

Seu nome era Vilma Trujillo García e morreu depois de ter sido queimada numa fogueira. A mulher, de 25 anos e mãe de dois filhos, lutou pela vida durante mais de 24 horas de agonia, nas quais suportou queimaduras de segundo e terceiro grau que calcinaram 80% do corpo: os seios, as coxas, parte do rosto e as costas ficaram carbonizados. Era o sofrimento que teve de pagar depois que membros fanáticos de sua congregação religiosa determinaram que estava “possuída pelo demônio” e que deveria arder na fogueira para se libertar do diabo.

ver El País
#assassinato mulheres
#violência masculina
#violência gênero
#sexismo
#direitos mulher
#relações gênero
#machismo
#cristianismo
#igreja evangélica
#américa central
#nicarágua