Canto à transliberdade

Facebook
VKontakte
share_fav

"Gloria" mudou a vida do diretor Sebastián Lelio (Santiago do Chile, 1974). Seu quarto filme ganhou três prêmios na Berlinale de 2013, incluído o de melhor atriz para Paulina García. Lelio acabou indo morar em Berlim, e enquanto abria um bar (chamado, claro, Gloria) escreveu – junto com Gonzalo Maza, que continuou no Chile – o roteiro de "Uma Mulher Fantástica". "Berlim foi um acidente, não tinha planos de me mudar para cá. Ganhei uma bolsa, me apaixonei pela cidade, e acredito que seu espírito penetra no roteiro, porque é uma cidade onde coisas impossíveis podem acontecer", contava em seu primeiro encontro com a imprensa na estreia de "Uma Mulher Fantástica" na mostra competitiva da Berlinale. E a coisa não parou por aí: desta vez, Lelio não ficará nem 48 horas na capital alemã porque está filmando Disobedience, adaptação do romance de Naomi Alderman, produzida e protagonizada por Rachel Weisz, que contratou o chileno assim que viu... "Gloria".

ver El País
#sexualidade
#identidade sexual
#transexualidade
#festivais cinema
#festivais
#lgtbi
#grupos sociais
#pedro almodóvar
#festival berlim
#louis malle
#rachel weisz