74 homens possíveis para nos inspirar nesse ano que começa

Facebook
VKontakte
share_fav

Fechamos 2016 com a celebração da primeira década do PdH e uma promessa, realizada ao final do encontro "Homens Possíveis: quebrando as prisões masculinas": publicar uma curadoria com homens que nos inspiram.

Cena do encontro de 10 anos do PdH

A mídia tradicional sempre premia os atletas, empresários, atores e ativistas já famosos. Mas e quem não possui assessoria de imprensa e trabalha silenciosamente para defender o que acredita? Essa insatisfação vem crescendo dentro de nós há tempos — em especial depois que o Think Olga começou a publicar sua maravilhosa lista anual de mulheres inspiradoras, em 2013.

Daí veio nossa vontade em oferecer uma curadoria que possa jogar luz em quem não está na grande mídia, mas realiza um trabalho digno de admiração, não importa quão pouco valorizado seja.

Não estamos falando de virtuosos, que jamais pisam em falso ou não falam palavrão em público. São homens comuns, como você e eu.

Pois a visão do PdH não é formar uma panelinha de iguais que se acham melhores do que os outros — e se isso acontece de algum modo, estamos falhando feio. Aspiramos ter boas conversas, ser capazes de dialogar com quem pensa diferente e oferecer conteúdo útil, que possa ir além da cultura do entretenimento. Com alguma sorte, isso pode beneficiar vidas. É pra isso que estamos aqui.

Os critérios utilizados:

  • pessoas que realizam um trabalho digno de nota ao longo de 2016, que inspira, beneficia ou transforma o contexto no qual estão inseridas de algum modo

  • pessoas que não estão tão presentes na grande mídia

  • incluímos desde quase desconhecidos que fazem um belo trabalho no bairro em que vivem a pessoas que atuam em escala bem maior e já possuem reconhecimento considerável, pois não queríamos passar a mensagem de que só é legal se atingir muita gente; há um valor imenso nos pequenos trabalhos que se sustentam por meses e anos

  • buscar pessoas que também estejam além do eixo Rio-São Paulo

  • não incluímos pessoas que trabalham no PapodeHomem hoje ou que têm publicado textos conosco nos últimos tempos, caso contrário metade da lista seriam autores da casa (alô, Amuri, Fred Mattos, Bruno Passos, Brandão e cia limitada!)

  • não nos restringir a homens heterossexuais ou cisgêneros.

A lista é imparcial?

Imparcialidade não existe.

Essa lista é um recorte, feito pelas mãos atentas de Ismael dos Anjos e Gabrielle Estevans, a partir da visão editorial do PapodeHomem, contando com minhas observações. Ela reflete as bolhas em que vivemos e nossas limitações.

O trabalho foi feito em duas semanas e com certeza há um espaço imenso para melhorar. A intenção é divulgar uma nova todos os anos. Por isso convidamos vocês a torná-la colaborativa.

Queremos que ela possa abarcar um espectro de ideias, ações e visões políticas bem maior do que nós três demos conta de propor inicialmente.

Mais uma cena do nosso encontro de 10 anos, realizado em dezembro de 2016

Como posso colaborar com a lista então?

Deixe sua sugestão de entrada nos seguintes moldes:

  • Nome

  • Link (caso haja um link público pra conhecer mais sobre a pessoa, seria ótimo estar listado também)

  • Por que vale incluir essa pessoa? (aqui você conta do trabalho e postura do homem indicado, oferecendo todos os detalhes que julgar pertinente)

Assim, juntando o artigo e os indicados nos comentários, teremos um trabalho muito mais rico e diverso.

Os 74 homens possíveis, divididos por área de atuação

Artes

André Dahmer— O quadrinista da tirinha Malvados, Terêncio Horto e outras tantas foi, em 2016, um cronista preciso e precioso dos tempos que vivemos e de como o experimentamos. “Nada, nada, nada. Não há nada acontecendo. Está tudo normal! normal! Normal, Normal!”.

Também foi nesse ano em que Dahmer lançou o livro “Quadrinhos dos anos 10”. (dica de Gustavo Gitti).

ver Papo de Homem
#homens possíveis