Os 7 filmes 'mais de humanas' para assistir na Netflix agora

Facebook
VKontakte
share_fav

Natureza, ambientalismo, pé descalço na grama, rodinha de violão e aquela vontade incontrolável de fazer uma viagem de carro com os amigos. Tudo isso se resume numa palavrinha: humanas.

E está cheio de gente por aí que gosta de ver o tempo passar desacelerado, olhar os passarinhos voando, mas nem sempre tem espaço no calendário (ou dinheiro) para escapar uns dias para o meio do mato.

Bem, nesses casos, uma alternativa é usar a força do Viver como a Milena , certo?



rio bravo


1. Na Natureza Selvagem (2007)
Direção: Sean Penn

Baseado na história de Christopher McCandless, um cara de 24 anos que deixa a vida de classe média estabelecida, doa as economias e parte para descobrir a América em estado natural (ou o que ainda resta dela). Califórnia, Grand Canyon e todas as paisagens mais clássicas estão garantidas. Mas a meta de McCandless é o inabitado Alasca. E lá ele percebe que nem tudo é tão fácil assim.... A história é tão tocante que virou rota turística. E, sim, o Fairbanks City Transit System Bus 142, o "Ônibus Mágico", está lá.

filme


2. Serpico (1973)
Direção: Sidney Lumet

Um policial idealista na Nova York corrupta, suja e violenta das décadas 1960 e 1970. E Frank Serpico enfrenta toda a burocracia da forma mais humana possível. De como encara a carreira até a forma como se veste, Serpico é a encarnação de humanas no braço repressivo do Estado. E tudo com um Al Pacino na ponta dos cascos.


filme


3. Blackfish - A fúria animal (2013)
Direção: Gabriela Cowperthwaite

Como produzir uma fortuna enorme com a captura de animais selvagens? E como o Sea World foi capaz de esconder os ataques causados por uma orca tão perigosa? Mas, afinal, como era tratado esse animal? O documentário esbarra numa série de questões - do cativeiro de animais até a publicidade e o jornalismo - para recontar a trajetória de Tilikum, uma baleia capturada na Islândia em 1983 que acabaria atacando três de seus treinadores no parque aquático mais famoso do mundo. Dawn Brancheau, uma das vítimas, acabou não sobrevivendo.

filme


4. Aconteceu em Woodstock (2009)
Direção: Ang Lee

Comédia que relata a maior concentração de hippies da história da humanidade com originalidade e leveza. E, bem, talvez você não saiba, mas tudo aquilo só aconteceu daquela maneira porque uma simpática família do interior do estado de Nova York estava para ser despejada. Para evitar que perdesse a propriedade, Elliot Tiber, o filho do casal, ofereceu a propriedade dos pais para promover um show de rock em 1969. O resto é história. E gente pelada, claro.


filme


5. Maidentrip (2013)
Direção: Jillian Schlesinger

O que você queria da vida aos 14 anos de idade? Laura Dekker queria seria a pessoa mais jovem da história a cruzar o mundo num veleiro. Simples, né? Na Holanda, país onde a garota vivia, isso não foi bem aceito. Com medo, o governo tentou inclusive retirar a guarda da menina para que ela não se jogasse ao mar. Não deu. Ela foi. Ela sobreviveu. E está tudo bem documentado como você pode ver.


filme


6. Cultura Chapada (2014)
Direção: Brett Harvey

Artistas, políticos, cientistas, ativistas, médicos, policiais... A impressão que se tem ao assistir ao filme é que a legalização da maconha em diversos estados americanos ainda não chegou ao centro do poder. A direção parte de núcleos e histórias específicas para ir derrubando as barreiras, mas o filme está longe de ser uma peça otimista ou panfletária. A legalização e a descriminalização da maconha ainda gera uma série de conflitos na sociedade americana. E a Guerra às Drogas é uma máquina burocrática que parece não estar disposta a arredar o pé. Em tempos de debate dentro do STF, é indicadíssimo para quem quer tentar entender melhor as engrenagens das decisões políticas quando o assunto é droga.

filme


7. Wildlike: Coração Selvagem (2014)
Direção: Frank Hall Green

Aqui a vida mochileira e ousada no Alasca não é uma opção. A menina Mackenzie, de 14 anos, é despachada de Seattle pela própria mãe para viver com o tio na cidadezinha de Juneau. E aí que dá tudo muito errado e ela precisa escapar da enrascada que se meteu. Diferente da história de Na Natureza Selvagem, aqui tudo não passa de ficção. Talvez, ao ver o filme, você se sinta até mais aliviado com essa informação...

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:



ver Brasil Post - Blog