'O Último Poema do Rinoceronte' abusa de tática da emoção às custas da chantagem moral

Facebook
VKontakte
share_fav

Um letreiro na abertura de "O Último Poema do Rinoceronte" anuncia tratar-se da história do poeta iraniano-curdo Sahel Kamangar, "que ficou 27 anos nas prisões da República Islâmica do Irã, enquanto sua família foi informada de que tinha morrido". Leia mais (06/25/2015 - 02h30)

ver Folha de S.Paulo - Ilustrada