A guarda dele acabou, e a minha também: uma carta aberta para Game of Thrones

Facebook
VKontakte
share_fav
*Alerta de spoilers para a quinta temporada de Game of Thrones e discussão de estupro e outras formas extremas de violência.*
Caro Game of Thrones,

Há muito tempo tenho problemas com seu uso gratuito da nudez frontal feminina, enquanto aos homens é garantida a integridade corporal visual. Escrevi longamente sobre isso para a Sociological Images e examinei o fenômeno sexista em várias séries da HBO ao longo dos anos com detalhes gráficos - e com muito desgosto.

Fiquei agradavelmente surpresa ao ver que, pelo menos uma vez, uma série da HBO - The Leftovers - não só pegou leve na nudez como tinha uma proporção igual de homens e mulheres nus, e achei que a HBO estava trilhando um novo caminho. Tinha tantas esperanças.

E aí veio a sua quinta temporada, Game of Thrones

Ai, ai.

Por onde começar?

Com dezenas de mulheres nuas fazendo pontas em cenas ainda mais gratuitas num bordel?

Com o fato de que o High Septon também foi obrigado a fazer uma caminhada da vergonha, mas suas partes não foram mostradas, enquanto Cersei Lannister passou pelo mesmo e tivemos uma amostra prolongada e quase ginecológica de seu corpo?

Aí você começa a mudar as histórias do livro, para que meninas possam ser repetidamente estupradas, torturadas e assassinadas? Você não precisava fazer isso com Sansa Stark ou Shireen Baratheon. Voltando para temporadas anteriores, nem Danaerys Targaryan nem Cersei Lannister foram estupradas nos livros, e mesmo assim você decidiu que seria uma mudança adequada na adaptação para a TV. Tão errado, Game of Thrones. Tão repulsivo da sua parte.

E o pedófilo e sádico Merryn Trant batendo nas meninas com uma vara, incluindo Arya Stark, antes de supostamente estuprá-las? Você está de brincadeira?! Quando ainda ouvíamos os gritos de Sansa e Shireen ecoando em nossas cabeças e corações? São essas as decisões criativas que você está tomando?

Incrivelmente, o único nu frontal masculino que vimos na quinta temporada foi realmente relevante para o desenvolvimento da trama. Então, Game of Thrones, isso me diz que você sabe a diferença entre mostrar corpos de forma gratuita ou necessária. Seu sexismo atingiu níveis épicos.

Você percebe, Game of Thrones, que com todas essas escolhas narrativas está se emaranhando ainda mais na cultura do estupro que satura nossa mídia, fazendo do mundo real um lugar mais perigoso para meninas e mulheres?

Você sabe, Game of Thrones, que está contribuindo para uma cultura tóxica na qual homens acham que têm direitos sobre o corpo feminino, o que resulta em violência real contra meninas e mulheres?

Você entende, Game of Thrones, como isso tudo é ofensivo para sua legião de espectadores incrivelmente inteligentes, muitos dos quais são mulheres? Você se importa?

Aí descobri que não tinha nem uma mulher sequer entre os roteiristas ou por trás das câmeras nesta temporada. Não é à toa que você tenha feito tanta bobagem. Não esperaria nada menos que isso de um bando de manos, errando completamente o alvo nessas questões de gênero tão sensíveis.

Estou muito decepcionada com você, Game of Thrones. As histórias de George R. R. Martin merecem algo melhor. E você deveria pensar mais sobre sua própria produção em vez de se rebaixar ao mínimo denominador comum do "lado pervertido da audiência".

Com a morte de um dos personagens principais da série, também estou dizendo adeus a Westeros e suas redondezas.

Em sã consciência, feminista ou não, não posso continuar assistindo uma série tão ostensivamente - tão exageradamente - sexista e misógina.

Não vou mais investir energia emocional em uma produção que explora e transforma mulheres em objetos sexuais com propósitos quase pornográficos. Agora que vejo de uma vez por todas que essas escolhas narrativas na verdade são um padrão desde a primeira temporada, estou fora.

Não posso apoiar uma série que capitaliza em nudez feminina gratuita, estupro, tortura, assassinato e pedofilia, tudo disfarçado de entretenimento. Como mulher, isso não entretém.

Como artista, essas imagens desnecessárias são táticas para chocar, disfarçadas de criatividade (preguiçosa). Mad Max: Estrada da Fúria, cuja trama envolve uma narrativa de escravidão sexual, não tem uma única cena de estupro e ainda assim apresentou seu argumento.

Como humana, concordo com Tyrion Lannister: "Sempre há morte demais no mundo para o meu gosto: estou bem sem mortes no meu tempo livre".

As mulheres desse mundo e suas aliadas vivem sabendo que em toda parte meninas estão sendo machucadas, assassinadas, exploradas e desvalorizadas. Não precisamos de extensões dessa consciência no entretenimento que consumimos, especialmente se elas contribuem para a objetificação sexual e desumanização desse grupo já marginalizado, em vez de defendê-lo em seus direitos iguais e humanos.

Descanse, Jon Snow. Meu desejo é que sua morte seja definitiva, pois há finais piores que a morte em Westeros.

Drogon, Rhaegal e Viserion, suas criaturas magníficas: espero que vocês queimem esse mundo. Dracarys.

Tyrion, vou sentir especialmente a sua falta.

Adiante, Game of Thrones. Valar Morghulis.

E agora minha guarda acabou.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.




VEJA TAMBÉM:
ver Brasil Post - Blog