Encontrado esqueleto de homem que tinha um tataravô neandertal

Facebook
VKontakte
share_fav
o crânio de um humano vs. o de um neandertal (Foto: wikimedia commons)

Através da análise de uma mandíbula de 40 mil anos, que pertenceu a um indivíduo que viveu na área que, hoje, é a Romênia, cientistas descobriram mais uma prova de que temos sangue Neandertal. O fragmento, descoberto em 2002, intrigou cientistas desde o início por seu formato - ele sugeria que se tratava de um híbrido entre neandertal e homo sapiens.

Com poucos trechos do DNA do Oase 1 (o nome do indivíduo), cientistas foram capazes de concluir que algo entre 6 e 9% do genoma era de origem Neandertal - uma diferença mais significativa do que parece. São sete peças do genoma que parecem ser puramente neandertais. Ou seja, provavelmente o tataravô do indivíduo não era humano.

A descoberta levanta uma pergunta: o que, afinal, aconteceu com os neandertais? E quando? O Oase 1 sugere que eles ainda estavam por aí há 40 mil anos - e tendo relações com humanos. Agora cientistas querem buscar respostas para essa pergunta.

Via NatGeo

ver Revista Galileu