Virada Cultural tem noite de música, diversidade e mais de 60 pessoas presas em São Paulo (FOTOS)

Facebook
VKontakte
share_fav

A primeira noite da 11ª edição da Virada Cultural de São Paulo levou milhares de pessoas para curtir música, espetáculos culturais e gastronomia em vários espaços da capital paulista. Sem ocorrências graves, a Polícia Militar prendeu mais de 60 pessoas por questões relativas a furtos, roubos, além de consumo e tráfico de drogas.

Um balanço oficial da corporação será divulgado apenas após o fim da Virada, que segue com atividades em São Paulo até o início da noite deste domingo (21).




Entre os shows, destaque para algumas apresentações, como a da cantora Daniela Mercury, que animou o público no palco montado Praça Julio Prestes. O espaço ainda recebeu o ‘estreante’ Fábio Júniorque leu um poema da filha, a atriz Cléo Pires – e o cantor Lenine, que abordou a polêmica entre o jornalista Ricardo Boechat e o pastor Silas Malafaia.

Já no Palco São João, o cantor Jerry Adriani foi um dos artistas que homenagearam a Jovem Guarda.

Na Praça da República, a Orquestra de Violas homenageou a cantora Inezita Barroso, falecida em março deste ano.
No Palco Princesa Isabel, o cantor e ator Tiago Abravanel homenageou Tim Maia – com direito a uma mudança no fim de Vale Tudo, ao dizer que “vale, sim, dançar homem com homem e mulher com mulher” – e ao cantor Chorão, líder da banda Charlie Brown Jr.


A diversidade também deu o ar da graça, com as apresentações da ‘batalha de drag queens’ e shows de cabaré no Largo do Arouche. No Sesc Pompeia, na zona oeste da capital, Elke Maravilha comandou um desfile da marca Daspu.


Na Praça Roosevelt, o chef Alex Atala esteve presente com uma barraca em mais uma edição da famosa galinhada gastronômica, que voltou à Virada neste ano.

ver Brasil Post - Blog