Saiba como como discutir política no Facebook sem perder amigos

Facebook
VKontakte
share_fav

Eu sei. Meu blog no Brasil Post deveria se ater a tecnologia e games. Mas política é um assunto que me atrai. Não tem jeito.

Rede social pra jornalista/comunicador é trabalho, enquanto para a maioria das pessoas é passatempo, perda de tempo ou chance de disseminar inutilidades. Mesmo assim, tem leitor meu que leva o Facebook mais a sério do que eu quando falamos de política -- e olha que a minha fonte de renda vem das curtidas e das visualizações de vocês, junto com o atuação dos anunciantes.

Como as redes sociais estão cada vez customizáveis, cada um vê o que quer e isso vicia a leitura. Você pode ocultar o post de quem não gosta e mostrar só pra quem acredita em você. Quem curte um determinado espectro político no Facebook, seja esquerda ou direita, deverá ver as mesmas postagens se multiplicando na timeline.

Isso cria verdadeiras torcidas organizadas em torno de disputas partidárias e questões polêmicas, como a corrupção.

Não sou o cara mais pacífico no Facebook. Se tem alguém que arruma briga na internet, este alguém sou eu, especialmente no jornalismo opinativo.

Arrumo treta feia com leitor que é rude, especialmente.

No entanto, separei algumas dicas para você discutir principalmente política e sociedade sem perder a amizade daquele seu parente ou conhecido que pensa muito diferente de você. E se tornar um bom leitor, independente do que você acha ou deixa de achar.

Olha aí.

- Veículo de imprensa não é como time de futebol. Leia pelo menos dois jornais ou revistas diferentes em suas opiniões

A redação da Carta Capital não fica feliz se você deletou seu tio leitor da Veja. E vice-versa, porque isso é apenas triste e mostra que vocês não conseguiram conviver. Leia dois veículos com opiniões opostas. Se puder, leia pelo menos cinco em assuntos gerais. Não precisa ler tudo. Passe pelas manchetes, pelas fanpages do Face e selecione o que te interessa. Evita que você saiba informações de maneira enviesada e colabora para que você tenha mais conhecimento sobre o mundo. Ter opinião não é um problema em si.

- Leia a chamada mídia alternativa

Tô falando pra você abandonar a Veja, a Folha, o Estadão e o Globo? Não. Mas descubra quem faz imprensa "indie" no Brasil. Não é só veículo de esquerda, como DCM, Carta Maior, Brasil247, etc. Temos também o Observatório da Imprensa, Agência Pública, Outras Palavras e muitos outros veículos, incluindo blogs específicos criados por jornalistas experientes e times reduzidos. É diferente da mídia mainstream, que produz em escala industrial. Os indies têm menos comprometimento com alguns patrocinadores, o que rende bons contrapontos e excelentes reportagens próprias.

- Leia a imprensa especializada

Política é um tema geral, mas abarca tecnologia, economia e cultura, entre muitos assuntos. Vá atrás de quem escreve só sobre temas mais específicos pra ganhar repertório. Isso te ajuda a ter conteúdo para entender assuntos mais complexos.

- Saiba que a sua curtida no Facebook vai enviesar seu uso da rede social

É comprovado. O algoritmo do Face oculta informações que você não quer ver e mostra outras baseados nas suas "curtidas". Selecione bem o que você gosta e visite páginas diferentes daquelas que você sempre vê. Variar de ares faz bem para as informações que você busca.

- Mais do que ler, veja direito o que é dito

Não falo nem para ler comentários de notícias, mas leia direito o site em si. Pesquisas de servidores de páginas na internet mostram que os leitores ficam no título e no primeiro parágrafo do texto. Eu acho que as pessoas atualmente nem passam da manchete dada no Facebook. Nem eu leio direito com a conexão de internet 3G ruim que temos no Brasil quando estou na rua.

- Caras que você discorda necessariamente não falam besteira: Se tiver dúvida, bata a informação em outras fontes

Passei uma dessas com a voz conservadora do Olavo de Carvalho no YouTube. Ele dizia, esbravejando num vídeo, que o ditador soviético Josef Stálin assaltava bancos antes da Revolução Russa. Eu achei que a informação era mentirosa, busquei outras fontes e vi que era verdade, pois Stálin fez os crimes após sair do seminário. Isso não tira a porrada de besteiras que Olavo já falou sobre filosofia no mesmo canal de vídeos, mas ele mandou uma dentro, sim.

- Admita erros ao discutir política na internet, e qualquer outra coisa

Eu confesso: Já errei e errei muito debatendo política. Sabe qual é a saída para o erro? Admita-o por escrito. Tenho um punhado de bons amigos que discordam e discutem comigo numa boa, inclusive criticando. Isso é bom pra todo mundo e é uma saída para ser humilde.

- A opinião que você odeia tem público e debatê-la faz parte da democracia

Odeia um certo blog que escreve em Caps Lock e xinga determinados políticos? Torce o bico para sites que puxam saco de determinada vertente? Tem espaço pra todo mundo, inclusive pra novos sites. Não caia na besteira de apenas criticar e tolere a existência de veículos que você não aprecia. Debate e opinião é algo próprio da imprensa e fortalece o regime político democrático.

- Jornalismo de política no Brasil não é sinônimo de corrupção

E tem caso de corrupção que deveria estar no caderno de cotidiano, na área de polícia. Política está nos informes do Senado Federal e em toda a estrutura informacional dos governos que permite a qualquer pessoa formar opinião e fazer uma análise.

- Crie debates, mas seja educado nas réplicas

E nas tréplicas. E até quando você ficar em silêncio. A maioria das pessoas não sabe que, na verdade, não existem vencedores num debate. O que realmente acontece é troca de informações e argumentações.

- Não fique aporrinhando o cara que pensa diferente de você

Ele postou uma informação mentirosa ou caluniosa? Você discorda sempre dele? Tente debater algumas vezes, mas não insista. A verdade se mantém quando a inteligência está acima da opinião pela opinião. E nem todo o cara que é radical é necessariamente um militante político. E não há nada de errado em fazer militância, seja qual for.

- Não confronte, mas denuncie ou critique abertamente páginas que publicam mentiras

Opinião é opinião. Ironia e tiração de sarro são brincadeiras. Mas informação é informação. Dado torcido que induz ao erro deve ser criticado abertamente. Informação errada que pode causar crimes deve ser denunciada, especialmente na política.

- Leia o jornalismo internacional de política

E você vai entender rapidinho que existem muitos outros conflitos que nossa vã direita e esquerda tupiniquins ainda vão demorar anos para entender. Não significa que os governos fora do Brasil são necessariamente melhores. Eles só são, bom, diferentes. Não compare só o que acontece nos Estados Unidos e na Europa. Vá conhecer um pouco sobre as disputas no Oriente Médio e na África.

- Conselho final: Fique de boa

E aproveite as discussões pra aprender sobre política, dos governos e até aquela que existe no cotidiano. O poeta maranhense Ferreira Gullar diz que a política começa a ser feita dentro de casa. Faça amigos nas redes sociais, por afinidades ou outros motivos. Não perca amigos por assunto nenhum. Os políticos não se importam e até ganham ibope com as brigas das pessoas. Os jornalistas ganhariam mais com leitores mais sossegados e inteligentes.

Texto originalmente postado no .

ver Brasil Post - Blog