Michelle Bolsonaro nega que o marido seja machista, homofóbico ou misógino

Facebook
VKontakte
share_fav

A nova primeira-dama do Brasil, Michelle Bolsonaro, concedeu entrevista à RecordTV. A conversa foi transmitida no programa Domingo Espetacular neste domingo (28.out.2018). Michelle é casada com o presidente eleito no 2º turno das eleições de 2018, Jair Bolsonaro.

Ao jornalista Eduardo Ribeiro, Michelle afirmou que o marido não é machista, nem homofóbico ou misógino. Reiterou que os preconceitos dos quais o marido é acusado são errôneos.


“Ele é taxado como racista e 1 dos melhores amigos dele a 20 anos atrás é o Hélio Negão. Ele é taxado como facista, como homofóbico e nós temos amigos gays, eu tenho 1 primo que é gay. Ele é taxado como misógeno e ele é casado com quem? Com uma filha de cearense [sic]. Eu tenho certeza que Deus está dando essa oportunidade para o Brasil conhecer o Jair de verdade”, disse.

Ao falar sobre as polêmicas nas quais Bolsonaro já se envolveu Michelle afirmou:

“Eu conheço o Jair Messias, meu marido, meu amor, pai da minha filha, padrasto da Letícia [ filha de Michelle antes do casamento com Bolsonaro] que adora, que cuida e que proteje. Então ver que ele ser taxado e mal interpretado muitas das vezes, isso doía [sic], então eu sempre me blindei, foi uma forma que eu tive, até com a própria imprensa, porque eu sei que ele não é o que as pessoas falam”.

Ao ser questionada se acredita que Bolsonaro seja capaz de pacificar as divisões do país e unir o Brasil Michelle afirmou: “Sim, eu tenho certeza disso, ele só quer segurança e a gente sabe que o ser humano só respeita o que ele teme. Então eu tenho certeza, ele não quer afundar o Brasil, pelo contrário, ele erguer o Brasil e eu sei que Deus vai dar sabedoria e discernimento e ele vai mudar o Brasil”.

Na entrevista, Michelle relembrou as angústias que sentiu quando Bolsonaro foi atacado com 1 golpe de faca em 6 de setembro de 2018 durante 1 ato de campanha, em Juiz de Fora, em Minas Gerais.

Michelle e Jair são casados há 11 anos e tem uma filha, Laura, de 8 anos. Michelle contou que quando casou com Bolsonaro não queria ser mãe novamente. “Com o casamento, ele [Bolsonaro] foi mostrando a pessoa maravilhosa que ele era e eu tive vontade de ter mais filhos”, disse. Segundo Michelle, o presidente também não queria ter mais filhos e para formar a “nova família” teve que reverter uma vasectomia que havia feito.

Ao ser questionada se o “homem durão” que o Brasil conhece é romântico Michelle respondeu: “ele é romântico do jeito dele, ele é muito carinhoso, ele é muito prestativo, ele cuida muito bem da família”, disse. Segundo Michelle, Bolsonaro sempre priorizou a família.

Durante a campanha, em busca da aprovação e dos votos das mulheres, Bolsonaro lançou 1 vídeo em que chorava falando da filha.

A primeira dama também falou sobre a sua paixão com a libras – linguagem de sinais utilizada pelos surdos. Emocionada, Michelle disse que tem o desejo de ajudar a “mudar o Brasil” e lutar pelas pessoas com deficiência. Segundo ela, seu desejo é chegar no sertão e ajudar todos os cantos do Brasil.

A reportagem caracterizou a 1ª dama como uma mulher “discreta” que prefere acompanhar a profissão do marido dos bastidores. A primeira dama falou sobre as funções que pretende exercer quando o marido assumir a Presidência do país e fez revelações sobre o dia-a-dia do casal.

ver Blog do Fernando Rodrigues
#mídia
#2 turno
#eleições