Ataques no Twitter: Bolsonaro fez 35 tweets contra Haddad; petista fez 56

Facebook
VKontakte
share_fav

Ainda sem debate presencial neste 2º turno, os embates entre os candidatos a presidente Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) se deram, mesmo que de forma indireta, por meio do Twitter na 1ª semana de campanha eleitoral pós 1º turno. O militar fez 77 publicações em seu perfil, destas, 35 foram contra o candidato do PT. O petista fez 164 publicações, 56 foram contra o adversário.


O Poder360 analisou as publicações dos perfis dos candidatos feitas entre 8 de outubro até às 21h20 deste sábado (13.out.2018). Não foram considerados os retweets -republicações de outra pessoa.

As mensagens consideradas contra o adversário foram aquelas em tom de indireta e crítica ao outro, ao seu partido, às suas ações, posicionamentos e propostas. Além disso, entre as postagens de Haddad, havia mensagem direta a Bolsonaro, o convocando para 1 debate.

Bolsonaro ficou impedido de participar de debates presidenciais após ataque que sofreu em 6 de setembro. Na 4ª feira (9.out.2018), a equipe médica do militar não o liberou para participar dos eventos antes do dia 18 de outubro. A impossibilidade prejudicou os embates que seriam veiculados pela TV Bandeirantes, TV Gazeta, RedeTV! e pelo SBT.

O candidato do PSL participou de evento com integrantes do PSL no hotel Windsor Barra, no Rio de Janeiro. O militar discursou em pé por 21 minutos. Depois, concedeu entrevista à imprensa –sentado– por mais 27 minutos. Entre suas declarações disse que poderia faltar aos debates por “estratégia”.

Independente de haver ou não debate presencial e televisionado, as redes sociais, principalmente o Twitter, serão o maior meio de comunicação a ser utilizado pelos candidatos neste 2º turno. De acordo com a Bites, empresa de análise de dados digitais, Bolsonaro tem 34,6 milhões de eleitores na internet. Haddad tem 23,1 milhões. A diferença também está no número de seguidores no Twitter, o militar tem 1,77 milhões e o petista tem 834 mil.

Com 11,5 milhões de eleitores a menos que o militar, a Bites avalia que o PT precisa mudar por completo a sua estratégia digital para fazer frente aos aliados online de Bolsonaro. A empresa considera que a desvantagem de Haddad é clara e seus aliados digitais precisarão de maior intensidade na distribuição de informações online para frear o exército de Bolsonaro, que antes já demonstrava grande força.

E nesta semana, o PT demonstrou estar centrado em campanha nas redes sociais. Haddad fez 164 publicações, 87 a mais que o militar. Apesar do fato de que 56 foram voltadas contra Bolsonaro, o petista fez 45 publicações apresentando propostas e posicionamentos. A campanha do PT ainda mudou suas cores: de vermelho para verde e amarelo.

Bolsonaro também apresentou propostas, foram 19 publicações falando sobre seu governo, caso seja eleito, e seus posicionamentos.

Os candidatos também fizeram outras publicações falando sobre apoios de partidos, políticos e personalidades. Também divulgaram agenda e suas redes sociais, pediram doações, divulgaram transmissões ao vivo e fizeram recomendações aos eleitores.

Eis a quantidade de publicações de cada candidato:

Ataques de Bolsonaro

Em suas publicações contra Fernando Haddad, Jair Bolsonaro faz críticas ao PT citando casos de corrupção e a Lava Jato. Também faz críticas a Haddad, afirmando que ele é “pau mandado de corrupto”, em referência ao ex-presidente Lula, que está preso condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Bolsonaro também cita que o petista vai “combater o encarceramento e soltar criminosos”. O candidado do PSL afirma ainda que o petista compartilha notícias falsas e que o PT “tenta jogar católicos e evangélicos uns contra os outros”.

Eis 6 tweets de Bolsonaro contra o petista:

Ataques de Haddad

As publicações de Haddad contra Bolsonaro em sua maioria convocam o militar para debater propostas e faz críticas ao fato do militar ter negado participação nos eventos. A hashtag #VemProDebate chegou a ficar no Trending Topics do Twitter.

O candidato do PT também faz críticas a proposta de Bolsonaro de liberar o porte de armas, acusa o militar e sua campanha de compartilhar fake news.

Haddad também diz que, apesar de Bolsonaro ter 28 anos de mandato na Câmara, prestou “pouco serviço ao país”. O petista ainda chama os posicionamentos de Bolsonaro de autoritários e afirma que suas propostas “retiram direitos” dos brasileiros.

Eis 6 tweets de Haddad contra o militar:

ver Blog do Fernando Rodrigues
#redes sociais
#campanha eleitoral
#2º turno
#bites
#twitter
#eleições
#jair bolsonaro
#fernando haddad
#eleições 2018
#campanha no twitter
#eleitores na internet