Temer diz que manterá reajuste de servidores para 2019

Facebook
VKontakte
share_fav

O presidente Michel Temer decidiu nesta 4ª feira (29.ago.2018) que não adiará mais o reajuste para servidores públicos de 2019 para 2020.


O presidente disse que não editará uma medida provisória para postergar o reajuste porque só valeria para servidores do Executivo e não para quem é do Legislativo ou Judiciário. A informação é do Estadão.

Caso isso se concretize, estima-se que o impacto seja de R$ 6,9 bilhões para o ano que vem.

Remuneração de ministros do STF

Temer ainda falou que há conversas adiantadas sobre a remuneração de ministros do STF. O presidente disse que há possibilidade de incorporação do auxílio-moradia dos ministros aos salários. O benefício é R$ 4,7 mil para cada magistrado.

Isso faria com que o benefício parasse de existir, na prática, uma vez que estaria incluso no salário dos juízes. Em contrapartida, poderia haver 1 reajuste de 16,38% nas remunerações.

Temer fala que as medidas envolvendo os ministros não causariam alteração no Orçamento.

Atualmente, o salário dos ministros da Corte é de R$ 33,7 mil e é tido como base para o teto do funcionalismo. A previsão é que o impacto do aumento dos salários de outros servidores seria de R$ 250 milhões por ano.

Oficialmente, o Planalto afirma que a questão está sendo avaliada e não há decisão sobre o assunto. A proposta de Orçamento precisa ser enviada ao Congresso até 31 de agosto. O texto precisa ser aprovado pelo Congresso Nacional e sancionado pelo presidente da República.

ver Blog do Fernando Rodrigues
#reajuste salarial
#legislativo
#reajuste
#executivo
#auxílio-moradia
#governo
#congresso nacional
#salários
#judiciário
#contas públicas
#michel temer
#justiça
#economia