Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

Photo of Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo
Facebook
VKontakte
share_fav

Empate em São Paulo

Os candidatos ao governo do Estado de São Paulo João Doria (PSDB) e Paulo Skaf (MDB) estão empatados tecnicamente, segundo pesquisa Ibope/Estado/TV Globo divulgada na noite desta segunda-feira: Doria tem 20%, Skaf tem 18%. A margem de erro da pesquisa é de três pontos porcentuais. O atual governador Márcio França (PSB) aparece com 5% das intenções de voto e Luiz Marinho, candidato do PT, com 4%. Na sequência aparecem os candidatos Major Costa e Silva, do DC (3%), Professora Lisete, do PSOL (2%), e, com 1%, Marcelo Cândido (PDT), Prof. Claudio Fernando (PMN), Rodrigo Tavares (PRTB) e Toninho Ferreira (PSTU).

Às Sete – um guia rápido para começar seu dia

Leia também estas outras notícias da seção Às Sete e comece o dia bem informado:

Fechar a fronteira?

O governo de Roraima entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) solicitando a suspensão temporária da imigração de venezuelanos por meio da fronteira em Pacaraima, no norte do Estado. O pedido reforça a Ação Civil Originária (ACO) 3121, que já pedia o fechamento da fronteira entre Roraima e a Venezuela. No último dia 6, a ministra Rosa Weber, relatora da ação no STF, indeferiu o pedido. Em sua sentença, a ministra apontou que, além de ausência dos pressupostos legais para emissão de liminar, o pedido do governo de Roraima contraria “os fundamentos da Constituição Federal, às leis brasileiras e aos tratados ratificados pelo Brasil”. O novo pedido que será analisado novamente por Rosa Weber, ocorre após uma onda de violência iniciada no fim de semana em Pacaraima, deflagrada depois que o dono de um estabelecimento local foi esfaqueado e espancado supostamente por quatro venezuelanos. Em represália, brasileiros destruíram tendas usadas pelos venezuelanos para acampar na rua perto de um terminal de ônibus e incendiaram os pertences que os imigrantes deixavam para trás. Em resposta aos incidentes, o governo federal decidiu no domingo enviar um reforço de 120 homens da Força Nacional de Segurança a Roraima e determinou a intensificação dos esforços de interiorização de venezuelanos para outros Estados.

Nem pensar

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, general Sergio Etchegoyen, afirmou nesta segunda que governo federal considera “impensável” o fechamento da fronteira entre Brasil e Venezuela. ”O fechamento da fronteira é impensável porque é ilegal. Nós temos que cumprir a lei. A lei brasileira de imigração determina o acolhimento de refugiados e imigrantes nessa situação. Eu não sou jurista, mas para além disso [fechamento de fronteira] é uma solução que não ajuda em nada a questão humanitária”, disse o ministro. Etchegoyen afirmou ainda que cabe ao governo de Roraima avaliar sobre um pedido ao presidente Michel Temer para decretar o emprego das Forças Armadas em ações de segurança pública, por meio de operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO). Na esteira dos conflitos entre brasileiros e venezuelanos, o governo federal enviará ainda hoje uma comitiva de técnicos de nove ministérios às cidades de Pacaraima e Boa Vista. O objetivo é que eles tragam, já nesta terça-feira (21), um relatório com dados atualizados sobre a situação migratória no estado de Roraima.

Onde estão as mulheres

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, disse nesta segunda que “há uma verdadeira sub-representação feminina na política brasileira”. Empossada à presidência da Corte na semana passada, a ministra criticou a baixa representação feminina nos espaços de poder, em contraste com a maioria de mulheres no eleitorado. Ela citou dados do TSE que mostram que apenas 30,7% dos pedidos de registro de candidaturas para estas eleições são de mulheres. “Esses dados (52,5% do eleitorado brasileiro é composto por mulheres) confrontados com o número de pedidos de registro de candidaturas evidenciam a desproporcionalidade entre o número de mulheres candidatas e o de mulheres aptas a votar”, afirmou a ministra. Rosa ainda exaltou a importância do voto feminino para a construção de uma sociedade mais “igualitária, justa e inclusiva”. “Façamos, mulheres, ao exercer todas nós esse direito essencial da cidadania que é o voto, a diferença para um fortalecimento, para o estado democrático de direito, conquista diária e permanente de todos nós, com a consciência de que em nossas mãos, mulheres, está o destino do país”.

Mortes da intervenção

Ao menos cinco pessoas morreram durante uma operação conjunta que as forças de segurança realizam nos Complexos do Alemão, da Maré e da Penha desde a madrugada desta segunda-feira, 20, no Rio de Janeiro. Inicialmente, o Comando Militar do Leste (CML) havia informado que oito pessoas haviam morrido, mas as notícias mais atualizadas mostram um número menor. Um deles é o militar do Exército, identificado como Fabiano Oliveira Santos, morreu baleado durante a operação. Ele é o primeiro militar morto em confronto desde o início da intervenção federal no Rio, há seis meses. Ao todo, mais de 4.200 homens, entre militares das Forças Armadas, policiais militares e civis, atuaram em conjunto, inclusive com a utilização de veículos blindados. Nas redes sociais, moradores da região falavam em intensos tiroteios. Há relatos de que telefones celulares estariam sendo revistados durante a ação.

Privatização liberada

Segundo o jornal Valor Econômico, o presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Brito Pereira, suspendeu nesta segunda uma liminar que impedia a privatização de distribuidoras da Eletrobrás, cujo leilão está previsto para 30 de agosto. Pereira acatou pedido da Advocacia Geral da União (AGU) que solicitou a suspensão da decisão do órgão especial do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região, do Rio de Janeiro, argumentando que a privatização das distribuidoras visa assegurar a continuidade operacional das companhias e a manutenção dos serviços. O TRT emitiu liminar impedindo a privatização ao determinar a realização de um estudo sobre o impacto do processo nos contratos de trabalho e direitos dos empregados, num processo que envolvia sindicatos da Eletrobras no Piauí, Alagoas, Acre, Rondônia e Amazonas. Para o presidente do TST, a venda da distribuidora e não liquidação da empresa significa manutenção dos contratos de trabalho.

Sem prejuízos

O incêndio que atingiu a refinaria da Petrobras em Paulínia (SP), a Replan, não vai prejudicar o abastecimento de combustíveis no curto prazo. Em entrevista à agência Reuters, o diretor-executivo de Refino e Gás Natural da Petrobras, Jorge Celestino afirmou que o acidente foi “sério”, mas que não há motivos para se preocupar com abastecimento por cerca de 15 dias, porque a empresa pode calibrar estoques e outras refinarias. O coordenador regional do Sindipetro Unificado de São Paulo, Gustavo Marsaioli, também afirmou que os estoques de Paulínia estão elevados e que unidades de refino do estado, como Santos, Mauá e São José dos Campos, operavam com capacidade de cerca de 70% nesta segunda-feira (20). Ainda segundo Celestino, a situação deverá levar uma semana para ser normalizada.

Monitor registra aumento

O Monitor do PIB do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) mostrou que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro avançou 3,3% em junho ante maio. Na comparação com junho do ano passado, a atividade econômica teve elevação de 2,4% no mês de junho deste ano, totalizando 3,467 trilhões reais. No segundo trimestre, o PIB cresceu 0,3% ante o primeiro trimestre de 2018. Na comparação com o segundo trimestre de 2017, a atividade econômica avançou 1,2% no segundo trimestre deste ano. Para Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV, o crescimento positivo do PIB indica que, a despeito dos impactos negativos que a greve dos caminhoneiros ocasionou na economia em maio, esses efeitos foram, em grande parte, revertidos em junho, por conta do crescimento da agropecuária, serviços e consumo das famílias.

Ataque à bandeira, à moeda, à embaixada…

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan afirmou, nesta segunda-feira (20), que um ataque à economia turca não é diferente de um ataque à sua bandeira ou o chamado islâmico à oração. Em discurso pré-gravado para marcar o festival de quatro dias do feriado muçulmano Eid al-Adha, que começa nesta terça-feira, Erdogan disse que o objetivo da crise monetária é “deixar a Turquia e seu povo de joelhos”. Desde o início do ano, a lira turca sofreu uma queda de quase 40% em relação ao dólar, motivada pela crise cambial, e pelo aumento das sanções econômicas impostas pelo governo dos Estados Unidos. Grande parte da tensão entre a Turquia e os EUA foi motivada pela prisão do pastor americano, Andrew Brunson, detido na Turquia em 2016 por acusações de terrorismo. Hoje de manhã, a embaixada dos Estados Unidos em Ancara foi alvo de tiros. Ninguém ficou ferido.

Denúncia contra Venezuela

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, afirmou que planeja denunciar o governo da Venezuela ao Tribunal Penal Internacional (TPI) em Haia pelos supostos crimes contra a humanidade cometidos pelo governo de Nicolás Maduro. Em entrevista à emissora americana CNN, Macri disse que pretende denunciar o governo do presidente socialista “nas próximas semanas” e que tem o apoio de seus colegas da Colômbia, do Chile e do Paraguai. “Para mim não existe dúvida: na Venezuela, os direitos humanos são violados sistematicamente passando-se por cima da oposição e de todos”, afirmou. Milhares de venezuelanos estão fugindo para países vizinhos, o que provocou manifestações anti-imigração no Brasil e levou Equador e Peru a adotarem ações para reforçar suas fronteiras. O escritório de direitos humanos da ONU já enviou um relatório sobre a Venezuela ao TPI, que iniciou um inquérito preliminar sobre possíveis violações em fevereiro. O relatório indica que forças de segurança venezuelanas são suspeitas de matar centenas de manifestantes e supostos criminosos desde 2015.

Reunião de famílias

Dezenas de idosos sul-coreanos entraram nesta segunda na Coreia do Norte para reunir-se com parentes pela primeira vez desde que as famílias foram separadas pela Guerra da Coreia (1950-1953). De segunda-feira a quarta-feira, os participantes passarão 11 horas com os familiares do Norte na localidade turística de Monte Kumgang, sob a supervisão de agentes norte-coreanos. Esta nova série de reuniões de famílias divididas, a primeira em três anos, foi decidida após a retomada dos diálogos entre as duas Coreias, desde o início do ano. O conflito acabou com um armistício, sem a assinatura de um tratado de paz, pelo qual Norte e Sul ainda estão tecnicamente em estado de guerra, e as comunicações civis estão proibidas. Os 89 idosos sul-coreanos e seus companheiros de viagem deixaram a cidade portuária de Sokcho (nordeste da Coreia do Sul) em 14 carros. O comboio seguiu para a Zona Desmilitarizada, acompanhado por uma escolta policial e por vários médicos. Estima-se que 130.000 sul-coreanos se apresentaram como candidatos a essas reuniões.

ver EXAME
#roraima
#imigração
#exame hoje
#coreia do norte
#às sete
#venezuela
#coreia do sul
#brasil