Amplie as possibilidades do Dock com esse app para macOS

Photo of Amplie as possibilidades do Dock com esse app para macOS
Facebook
VKontakte
share_fav

Apesar de ser uma das ferramentas mais emblemáticas dos Macs, o Dock não é o aliado favorito dos usuários que prezam por produtividade. Por anos, ele tem cumprido com o seu objetivo de ser simples e intuitivo, no entanto, aqueles que desejam ter mais recursos e opções de personalização devem recorrer a outros softwares que dão essa autonomia extra — caso do aplicativo ActiveDock.

O ActiveDock é basicamente uma opção para substituir ou complementar o Dock nativo do Mac. O app conta com várias opções de personalização que vão do próprio Dock até ícones/pastas. Além disso, ele conta com ferramentas para alternar mais rapidamente entre aplicativos/janelas, opções de visualização e gerenciamento de tarefas. Outras funcionalidades do ActiveDock incluem:

  • Trabalhar com vários aplicativos de uma só vez;
  • Acessar rapidamente aplicativos e documentos;
  • Abrir o menu de apps/ajustes e pastas a partir de um botão personalizável;
  • Criar grupos/pastas de aplicativos e documentos para acesso rápido;
  • Ocultar ou excluir ícones de aplicativos do Dock.

Apesar de a interface não tão chamativa e não iniciar tão suavemente quanto o Dock nativo, o ActiveDock permite, de fato, uma gama de personalizações. Todos os ajustes podem ser feitos nas preferências do software, que podem ser acessadas pelo ícone do app no menu ou pelo “Menu Iniciar” do próprio software.

Nos ajustes de personalização de ícones, é possível escolher entre uma das opções disponíveis ou enviar uma imagem de sua preferência que será usada para representar o “menu Iniciar”, o “Lixo” e o recurso “Mostrar Desktop”. Além disso, é possível escolher qual dessas ferramentas você deseja acrescentar no Dock ao marcar (ou não) a caixa de seleção em cada opção.

Para aqueles que querem sair da mesmice do Dock nativo do macOS, o ActiveDock conta com uma farta seleção de pré-definições que variam de temas (incluindo a aparência do Dock do saudoso Mac OS X Snow Leopard), cores de fundo, transparência e bordas. Ademais, é possível escolher a cor ou a forma do indicador de aplicativos abertos no Dock.

Na aba “Grupos/Pastas” das preferências do ActiveDock, é possível criar os grupos de aplicativos e pastas com documentos relacionados que você deseja acessar rapidamente pelo Dock. Após criá-la, é necessário dar um nome à pasta de acordo com sua finalidade, adicionar quantos aplicativos/arquivos você desejar e definir a melhor forma de exibição do seu conteúdo.

Ao instalar o ActiveDock, ele apresentará nativamente o botão “Iniciar” no Dock, no mesmo local onde o Finder normalmente fica. Quando acessado, o menu exibe as opções de preferências do sistema e do app, pastas, usuários e contas bem no estilo retrô do Windows. Por lá, é possível acessar todas as pastas sem ter que, de fato, abrir janelas e mais janelas como no Finder.

ActiveDock: menu Iniciar no Dock

Alguns recursos oferecidos são realmente muito bem-vindos para donos de Macs que precisam gerenciar e trabalhar com várias janelas ao mesmo tempo. No entanto, outros recursos estéticos podem incomodar ou mesmo atrapalhar os devotos do “padrão macOS”, como sombras, tamanhos, bordas (bezels) do Dock, entre outros. Como eu disse, os recursos estéticos podem não representar algo muito sério para o usuário, contudo, alguns problemas de performance e desempenho foram constatados — e esses podem, sim, aborrecer algumas pessoas.

Durante o uso do app, ao executar alguma tarefa que exija multifunção (seja pré-visualizar uma janela e fecha-la), o software não irá responder de primeira, e talvez você até note a bolinha colorida do Mac girando por alguns segundos — no meu caso, ao tentar abrir um novo app e pré-visualizar uma janela, o app travou e encerrou inesperadamente. Além disso, ao criar uma pasta, os aplicativos inseridos não são apresentados imediatamente, e pode ser necessário reajustar a configuração de pastas e grupos para visualizar o seu conteúdo no Dock.

Por fim, um detalhe que vale a pena considerar na hora de adotar o ActiveDock é a interação com o Dock nativo do macOS. Por vezes, o Dock do app acaba “brigando” com o nativo para abrir ou encerrar uma tarefa ou outro app. Para evitar que isso seja uma barreira na hora de utilizar o ActiveDock, é necessário ajustar, nas preferências do app, para nunca exibir o Dock se o ActiveDock estiver ativo — ou, alternativamente, mudar sua posição na tela.

Seja ou não em face dessas falhas, o desenvolvedor Sergey Gerasimenko disse que o app está em constante desenvolvimento e que uma versão complementarmente reescrita do software deverá ser lançada em breve.

Para a infelicidade de alguns, o ActiveDock trabalha com o método de assinatura — além de uma opção com pagamento único. Dessa forma, após o período de testes, o usuário pode optar por uma das três formas de pagamento: R$20/mês para até dois Macs, R$80/ano para até dois Macs ou uma compra única de R$200 — com licença para até cinco Macs e atualizações vitalícias.

Para testá-lo, basta baixar o aplicativo [ZIP] e instalá-lo — lembrando que é necessário estar rodando pelo menos o macOS Sierra 10.12.

ver Mac Magazine
#aplicativo
#mac
#macos
#windows
#dock
#assinatura
#grupos
#pasta
#personalização
#finder
#ícones
#dicas
#macos x
#software