79 dias sem ela: suspeito de ‘queima de arquivo’ no Caso Marielle segue preso no Rio

Photo of 79 dias sem ela: suspeito de ‘queima de arquivo’ no Caso Marielle segue preso no Rio
Facebook
VKontakte
share_fav

Thiago Bruno Mendonça, 33 anos, conhecido como “Thiago Macaco” e acusado pela morte de Carlos Alexandre Pereira, colaborador do mandato do vereador Marcello Sicilliano (PHS), foi preso na tarde da última terça (29) pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, informa a Ponte.

Além de ser acusado da participação no assassinato de Pereira, o “Cabeça”, em 8 de abril, em Jacarepaguá, zona oeste da cidade, segundo um delator Macaco estaria, assim como Sicilliano, ligado às mortes de Marielle Franco e seu motorista, Anderson Gomes. Há suspeitas da Delegacia de Homicídios de que Macaco estaria envolvido com a milícia de Jacarepaguá, e que o assassinato de Pereira configuraria queima de arquivo.

Thiago "Macaco". Foto: reprodução

De acordo com apuração da Ponte Jornalismo, os carros participantes nos três homicídios - Marielle, Anderson e Carlos Alexandre - partiram da região de Jacarepaguá. A 2ª Vara Criminal da Capital expediu mandado de prisão temporária para Thiago Macaco. Ele foi preso em uma loja no Shopping Nova América, zona norte do Rio. Antes dele, já cumpriu prisão temporária Rodinete de Jesus da Silva, o Roni, em 19/5, acusado de participar da morte do colaborador.

Assista ao nosso vídeo sobre o assassinato de Marielle Franco:

A DH segue em busca de Ruy Ribeiro Bastos, suspeito de ser um dos executores do homicídio. A investigação busca confirmar a motivação e a autoria de uma quarta pessoa envolvida, como mandante do crime. Até o momento, ninguém foi condenado por envolvimento direto nos assassinatos de Marielle e Anderson.

Siga a VICE Brasil no , Twitter, Instagram e YouTube.

ver Vice Brasil
#violencia
#homicídio
#assassinato
#direitos humanos
#investigação policial
#rio de janeiro
#crime
#polícia
#marielle franco