Verint negocia com a NSO fusão na área de segurança

Photo of Verint negocia com a NSO fusão na área de segurança
Facebook
VKontakte
share_fav
Acordo, que pode ser concluído nos próximos dias, é avaliado em US$ 1 bi

A empresa de software Verint Systems está em negociações para fundir sua divisão de segurança com a empresa de vigilância cibernética israelense NSO Group, em um negócio avaliado em cerca de US$ 1 bilhão, disse hoje (28) uma fonte próxima às negociações.

LEIA MAIS: Empresas alertam para possível ataque russo

Se concluída, a transação criaria uma das maiores empresas cibernéticas do mundo. A NSO continuaria a ser uma empresa independente como uma nova divisão dentro da Verint, disse a fonte, que falou sob condição de anonimato. Ela disse, ainda, que o acordo será provavelmente assinado nos próximos dias.

A NSO é mais conhecida como fornecedora de ferramentas de vigilância móvel para governos e agências de aplicação da lei. A empresa, fundada em 2009 por Omri Lavie e Shalev Hulio, esteve no centro das atenções no ano passado em meio a alegações de que o governo mexicano usou seu spyware Pegasus para atingir cidadãos particulares.

A companhia se recusou a comentar o assunto, enquanto a Verint não estava disponível fora do horário comercial nos Estados Unidos. As negociações foram inicialmente reportadas pelo “Wall Street Journal”. Segundo a publicação, o acordo prevê que a Verint pague a empresa de private equity Francisco Partners, que é acionista controladora da NSO, com suas próprias ações e dívida assumida.

O jornal disse que a Francisco Partners, que pagou US$ 120 milhões para comprar uma participação majoritária na NSO em 2014, acabaria por se tornar a maior acionista da Verint se o acordo for concluído.

As ações da Verint subiram mais de 5% este ano e fecharam em US$ 44,05 na sexta-feira (25), avaliando a companhia em US$ 2,82 bilhões.

O post Verint negocia com a NSO fusão na área de segurança apareceu primeiro em Forbes Brasil.

ver Forbes Brasil
#negócio
#fusão
#segurança
#cibernético
#negócios
#últimas
#nso