63 dias sem ela: Civil analisa uso de silenciador em arma

Photo of 63 dias sem ela: Civil analisa uso de silenciador em arma
Facebook
VKontakte
share_fav

A Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro (DH-Rio) investiga se houve, de fato, um silenciador de tiros durante a execução da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, na noite de 14 de março de 2018.

A apuração surgiu a partir da afirmação de uma testemunha presente na reconstituição da cena do crime, que reconheceu o barulho do disparo uma submetralhadora alemã HK, feita pela Polícia Civil, utilizando um silenciador, na noite de sexta (10).

Assista ao nosso vídeo sobre o assassinato de Marielle Franco:

A testemunha aponta que a diferença ao dia do crime é que o som do tiro foi mais alto. A Civil averígua se a arma foi adaptada por um armeiro ou se os atiradores utilizaram um silenciador de fábrica da submetralhadora.

A DH ainda trabalha na investigação dos fragmentos de impressões digitais encontradas nos projéteis utilizados na execução e fará uma varredura em todas as armas submetralhadoras que pertencem a segurança do Estado do Rio de Janeiro.

Siga a VICE Brasil no , Twitter, Instagram e YouTube.

ver Vice Brasil
#assassinato
#rio de janeiro
#crime
#brasil
#polícia
#marielle franco