Comunidade de desenvolvedores para iOS na Índia fala sobre os desafios da Aceleradora de Apps da Apple

Photo of Comunidade de desenvolvedores para iOS na Índia fala sobre os desafios da Aceleradora de Apps da Apple
Facebook
VKontakte
share_fav

Inaugurada em março do ano passado, a Aceleradora de Apps da Apple em Bangalore (na Índia), foi um grande passo da empresa no sentido de conquistar novos consumidores e aprimorar a habilidade de desenvolvedores no país. Inclusive, comentamos acerca do feedback dado sobre o programa ainda no primeiro mês de funcionamento.

A aceleradora é um programa da Maçã que contribui para o aprimoramento de desenvolvedores locais em quesitos que envolvem design, qualidade e performance dos aplicativos produzidos para qualquer um dos produtos do ecossistema da Apple. Ademais, são responsáveis por apresentarem novas APIs1, como o SiriKit e, mais recentemente, o ARKit.

As conquistas

No evento educacional do dia 27 de março, a Apple anunciou o novo iPad e realizou algumas demonstrações, entre elas, a de um aplicativo chamado Froggipedia no qual crianças podem aprender a anatomia de um sapo sem ter que, de fato, dissecá-lo em laboratório. Esse aplicativo foi desenvolvido por uma companhia indiana chamada Design Mate, com o suporte do programa da Apple.

Um grupo de cinco desenvolvedores teve sessões na Aceleradora de Apps por duas semanas. Segundo os participantes, essa conexão contribuiu para a melhoria da interface, da experiência do usuário e do design. “Nós inserimos a ferramenta na qual você consegue dissecar um sapo com o Apple Pencil, imitando um laboratório, mas com um equipamento diferente”, relatou KD Brar (chefe da Design Mate) em entrevista para a KillerFeatures.

Outra companhia, a Fuild Touch (fundada em 2009) foi uma das primeiras empresas a desenvolver aplicativos para iPads e é uma frequentadora assídua da Aceleradora de Apps da Apple no país.

Nosso objetivo é criar um aplicativo equivalente a um livro de notas para iPad e iPhone. Na Aceleradora de Apps nós contamos com o melhor modo de desenvolver, otimizar e incorporar os recursos. Por exemplo, nós incluímos o escaneamento de documentos na última versão do app com a ajuda do ARKit.

Krisshna, CEO da companhia.

Os desafios

A comunidade iOS na Índia ainda é pequena e não se compara à expressividade que o sistema Android possui no país. Ainda assim, algumas ações da Apple parecem não contribuir para a melhora desse quadro. De acordo com Aakanksha Sharma, desenvolvedora da empresa Network 18, “todas as reuniões são organizadas pela comunidade e dificilmente conseguimos entrar em contato com a Apple além da Aceleradora de Apps”.

Ela também contou que é complicado visitar periodicamente o centro em Bangalore, uma vez que mora em Mumbai, cidade que fica a quase 1.000km de distância da Aceleradora. Para a desenvolvedora, a Apple poderia realizar encontros em outras cidades do país, já que a distância pode se tornar uma mazela quando prejudica a frequência de desenvolvedores em algumas reuniões.

Para outro desenvolvedor, Bangalore é mesmo a cidade ideal para o centro da Apple. No entanto, ele acredita que um dos maiores desafios é entrar em contato com a empresa americana para conseguir suporte, relatando que as únicas vias de comunicação são a Worldwide Developers Conference (WWDC) ou na própria Aceleradora.

Outro engenheiro, dessa vez de uma startup em crescimento na Índia, contou à KillerFeatures que a companhia promoveu um evento especial na Aceleradora para ajudar com design mas, devido à questão citada da baixa expressividade do iOS no país (ilustrado no gráfico abaixo), é difícil encontrar um bom desenvolvedor para o sistema da Maçã.

A participação do iOS no mercado indiano fica em torno de 3%, o que reflete a baixa expressividade do sistema da Apple no país.

Os próximos passos

A Apple está incrementando a Aceleradora de Apps na Índia com suporte ao mercado e ajuda em marketing para apoiar desenvolvedores e empreendedores nessas áreas. No entanto, a comunidade acredita que a empresa deveria investir em facilitar o acesso ao centro, seja por novas instalações em outras cidades ou mesmo promovendo eventos fora de Bangalore.

Para a Maçã, o desafio é outro: enquanto existem vários desenvolvedores com talento no país, o (promissor) mercado indiano não cresce para a gigante de Cupertino; mesmo quando as vendas estão em alta, os consumidores não investem muito em aplicativos.

É importante lembrar que a participação da Apple na Índia é baixa por uma série de fatores, entre eles o alto custo dos produtos da Maçã — o iPhone X é vendido lá por 92.430 rúpias (cerca de R$4.830). Ademais, alguns serviços ofertados (como Mapas e Siri) não funcionam muito bem por lá. Soa familiar?

via TechCrunch

ver Mac Magazine
#aplicativos
#ios
#mac
#índia
#desenvolvedores
#apple watch
#bengaluru
#bangalore
#desenvolvimento
#projetos
#apple
#iphone
#mercado