MBL e deputado propagam mentiras em campanha difamatória contra Marielle Franco

Photo of MBL e deputado propagam mentiras em campanha difamatória contra Marielle Franco
Facebook
VKontakte
share_fav

Nas 19 horas que se seguiram à morte de Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes, mais de meio milhão de tuítes circularam mencionando o assassinato da vereadora do PSOL, de acordo com estudo da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV Dapp). Do total, 88% eram mensagens de apoio e luto e apenas 7% fizeram uso da redes para criticar o PSOL, a esquerda e ativistas dos direitos humanos em geral como "defensores de bandidos". Passados alguns dias, o panorama evoluiu. Alguns atores da direita radical, incluindo o MBL (Movimento Brasil Livre) e o deputado da bancada da bala Alberto Fraga (DEM), passaram a protagonizar uma ativa campanha difamatória contra Marielle Franco. Não se trata de questionar visões de mundo ou até mesmo criticar a comoção com o crime político, posições esperadas num debate. O que foi ativado foi uma fábrica de informações falsas e boatos que aludem, sem qualquer base factual, ao envolvimento da vereadora com "bandidos".

ver El País
#estado rio de janeiro
#defesa
#intervenção federal
#decretos
#atividade legislativa
#violência
#assassinatos
#delitos
#administração militar
#parlamento
#problemas sociais
#américa
#justiça
#sociedade
#rio de janeiro
#américa do sul
#brasil
#américa latina
#política