Pedro Nobre, o cientista do sexo: “Hoje se pratica menos sexo em casal e mais sozinho”

Photo of Pedro Nobre, o cientista do sexo: “Hoje se pratica menos sexo em casal e mais sozinho”
Facebook
VKontakte
share_fav

DUAS PESSOAS fazem sexo freneticamente na tela do voluntário Paulo. Sob um discreto pano, seu pênis está ligado a um sensor; câmeras térmicas medem a temperatura de seus órgãos e outras câmeras visuais registram para onde se dirigem os olhos dele. Do outro lado da divisória, diante de telas, Inês e Raquel observam em tempo real a evolução gráfica da resposta sexual aos diferentes estímulos que Paulo recebe. Ele é um dos voluntários, uma das cobaias humanas do SexLab da Universidade do Porto, em Portugal, o laboratório de pesquisa em sexualidade que se dedica a estudar a resposta fisiológica genital no homem e na mulher. O português Pedro Nobre (Moçambique, 1970), doutor em Psicologia Clínica pela Universidade de Coimbra, é o criador e diretor do SexLab desde 2008 e também diretor do primeiro doutorado em sexualidade na Europa. Editor associado do Journal of Sexual Medicine, Nobre preside a Associação Mundial para a Saúde Sexual (WAS, na sigla em inglês). Fundada em 1978, agrupa 110 associações dedicadas a trabalhar pela saúde e os direitos sexuais das pessoas em qualquer canto do mundo, de qualquer crença ou condição.

ver El País
#sexualidade
#masturbação
#sociedade
#ciência
#sexo