Apple busca permissão da SEC para excluir novas propostas de diversidade em cargos elevados

Photo of Apple busca permissão da SEC para excluir novas propostas de diversidade em cargos elevados
Facebook
VKontakte
share_fav
Atual quadro de liderança da Apple

Em mais uma tentativa de modificar a aparência do corpo de executivos da Apple, a empresa recebeu uma nova proposta externa para que ela reveja seu programa de diversidade, principalmente em relação aos cargos elevados.

A firma de gerenciamento de investimento da Boston (e acionista), a Zevin Asset Management, fez em setembro mais um pedido para que a Apple considere “integrar métricas de sustentabilidade, incluir métricas em relação à diversidade entre executivos sêniores, nas medidas de desempenho do CEO nos planos de incentivo à remuneração da empresa”, o que pode impactar negativamente até as compensações de Tim Cook.

Atual quadro de liderança da Apple

O mesmo tipo de pedido já foi feito por duas vezes, justamente envolvendo o executivo e acionista Tony Maldonado, porém suas propostas receberam menos de 6% dos votos.

De acordo com as diretrizes da Securities and Exchange Commission (SEC), a falta de apoio nos votos permite que a Apple bloqueie qualquer nova proposta similar por três anos — e foi o que a empresa fez. O vice-presidente de administração da empresa, Gene Levoff, numa carta enviada em 9 de outubro, solicitou à SEC permissão para excluir uma proposta desse tipo da próxima reunião de acionistas da empresa, conforme contou o Silicon Beat.

A Apple acredita que seus esforços para melhorar a diversidade interna têm sido suficientes, apesar de Maldonado ter afirmado em maio que ela “basicamente enganou os investidores”, levando-os a acreditar que tudo estaria bem nesse sentido. Algum tempo depois, a Maçã criou o cargo de vice-presidente de inclusão e diversidade, e o entregou nas mãos da então chefe de recursos humanos Denise Young Smith.

Talvez para tentar conseguir mais votos, nessa última proposta, Maldonado, Zevin e outros patrocinadores teriam citado estudos os quais dizem que as empresas com melhores números em diversidade seria mais propensas a se saírem bem financeiramente.

De modo geral — isto é, não especificamente em cargos mais altos —, os últimos números da Apple mostram que 56% dos seus atuais empregados são brancos e 68%, homens. Enquanto isso, uma pesquisa em 2016 mostrou que, entre os 107 executivos mais importantes da Maçã, 73 são homens brancos, enquanto 2 são latinos e outros 2 são negros.

Em relação ao pedido da Apple de exclusão da proposta, espera-se que a SEC divulgue sua decisão antes da assembleia geral, que deverá acontecer em fevereiro de 2018.

via AppleInsider

ver Mac Magazine
#off-topic
#mulher
#homem
#diversidade
#negros
#brancos
#branco
#latinos
#pessoas