Saiba escolher a cerveja certa para cada momento ou refeição

Photo of Saiba escolher a cerveja certa para cada momento ou refeição
Facebook
VKontakte
share_fav

Beber boas cervejas está cada vez mais ao alcance de todas e todos. Os tempos em que elas eram divididas em claras/fracas e escuras/fortes ficaram para trás; hoje, elas podem ser leves, encorpadas, amargas, docinhas e muito mais.

As variedades estão por todos os lados, dos bares às prateleiras dos supermercados, passando por beer trucks e lojas especializadas. “Como atualmente temos mais acesso a cursos tanto de conhecimento quanto de produção, é mais fácil saber procurar e conseguir encontrar todos os tipos de cervejas em qualquer grande cidade brasileira. E nas cidades pequenas há uma grande produção artesanal que permite praticamente o mesmo acesso a quem está longe das capitais”, afirma a mestre cervejeira Kamilla Zimmermann.

Sabemos que nem todas podem fazer um curso para conhecer os tipos de cerveja, então Kamilla os explicou para o MdeMulher:

Cerveja Lager

É uma cerveja de baixa fermentação, a mais popular que existe – cerca de 90% das cervejas do mundo são lager. Clarinha e amarga, deve ser servida o mais gelada possível.

Cerveja Pilsen

É uma espécie de “evolução da lager”. Só foi possível por causa da invenção da geladeira, que permitiu que sua fermentação fosse feita sob temperaturas menores. Também é clarinha, mas puxa mais para o dourado, e amarga, com um toquezinho floral.

Cerveja Bock

Avermelhada, maltada e mais alcoólica que a Lager e a Pilsen, é um bom tipo de cerveja para começar a se acostumar com sabores mais encorpados da bebida.

Cerveja Ale

É uma cerveja de alta fermentação, feita em temperaturas mais altas. A característica mais marcante de seu sabor é ser frutado com um toque de especiarias. A maioria das cervejas inglesas é Ale, assim como as belgas.

Cerveja Weiss

Com maltes de trigo e de cevada, ela é beeem mais clarinha e tem um cheirinho de frutas e cravo da Índia. Desce bem suave na garganta.

Cerveja India Pale Ale (IPA)

Super amarga e bem alcoólica, mas ainda assim fresquinha, a IPA foi criada para que os ingleses aguentassem a viagem de navio da Inglaterra à Índia, então já dá para imaginar o efeito dela, né?

Da esquerda para a direita: Stout, Bock, Pilsen e Lager (Comstock/Thinkstock)

Cerveja Amber Ale ou Red Ale

São as cervejas vermelhas (ou âmbar), originais do Reino Unido e dos EUA. Têm um gostinho de malte tostado e são amarguinhas.

Cerveja Strong Ale

O nome já entrega: são as cervejas ales mais fortes. Sempre douradas, podem ser mais claras (não tanto quanto as lagers) ou mais escuras e quase avermelhadas (não tanto quanto as amber ales).

Cerveja Barleywine

Bem maltada, bem alcoólica, bem docinha, ela é que nem vinho: pode ficar guardada e quanto mais velha, melhor – desde que armazenada adequadamente, claro, longe da luz e do calor excessivo.

Cerveja Stout

É a velha e boa cerveja preta. Normalmente é doce, seja suave ou seca. Grossa, quase dá para comer às colheradas (um pouco de exagero… mas só um pouco!).

Cerveja Dubbel

Docinha docinha, a cerveja dubbel chega a ser achocolatada. Sério! Algumas variações são também carameladas. Irresistível para quem tem o paladar mais adocicado.

Cerveja Porter

Escura e leve, era a favorita dos estivadores britânicos e hoje agrada aos paladares que preferem cervejas adocicadas e com um fundinho de gosto torrado.

“Todas têm subtipos que normalmente dizem respeito à origem geográfica e a alguma fermentação especial ou de série limitada”, explica Kamilla.

Como escolher a melhor cerveja para o calor e para o frio

Em primeiro lugar, é importante saber que cervejas mais alcoólicas esquentam o corpo – de verdade: suas reações químicas dão uma sensação de calor de dentro para fora –, e isso tem tudo a ver com a escolha da cerveja que você vai beber ou servir.

“O ideal é buscarmos cervejas mais leves para o calor, também por uma questão de hidratação. Estilos refrescantes interessantes são o German Pils, o Bohemian Pilsner e o Session IPA, entre outros”, diz Kathia Zanatta, sommelière de cervejas e sócio-proprietária do Instituto da Cerveja Brasil.

Ela complementa falando do ideal para os dias frios: “Neste caso, as cervejas mais alcoólicas podem ajudar e esquentar. Bocks, Dopplebocks, Barleywines, Russian Imperial Stouts, Belgian Dark Strong Ales e Imperial IPAs podem ser boas opções.”

As melhores cervejas para cada refeição

Cerveja é como vinho e pode ser harmonizada com a refeição que for acompanhar. “Não faz diferença se a refeição é um almoço ou um jantar. O que importa é o prato servido”, garante Kamilla. “Harmonização, entretanto, não é assim tão simples. Depende dos métodos de preparo, molhos e condimentos”, destaca Kathia.

(KatarzynaBialasiewicz/Thinkstock)

As duas especialistas preferiram, então, listar pratos e molhos mais usuais na culinária brasileira para indicar as melhores cervejas para acompanhá-los.

Bife grelhado: Dubbel, Amber Ale, Porter

Carne assada: Ale, IPA e Red Ale

Carne de porco: Bock

Churrasco: IPA

Cogumelos: Strong Ale e Bock

Comida japonesa: Weiss

Feijoada: Bock, Strong Ale e Stout

Fondue de queijo: Bock, Ale, Strong Ale

Frango assado: IPA, Bock, Red Ale e Dubbel

Hambúrguer: Ale, IPA e Lager

Lasanha: IPA e Lager

– Massas ao molho bolonhesa: IPA e Lager

– Massas ao molho carbonara: Bock

– Massas ao molho pesto: Strong Ale

Medalhão de filé mignon: Porter

Paella: Strong Ale e Bock

Peixes em geral: Weiss e Ale

Pizzas com cobertura de carnes: IPA e Red Ale

Pizzas com cobertura de queijos: Pilsen

– Pratos com camarão: Pilsen e Weiss

Saladas em geral: Weiss

Sobremesas com chocolate: Stout

Sobremesas com doce de leite: Porter

ver M de Mulher
#doces
#carne de porco
#carne vermelha
#gastronomia
#frango
#peixes e frutos do mar