Escritórios de P&D da Apple estariam estrategicamente localizados perto de empresas especializadas em AR, mapas, entre outros

Photo of Escritórios de P&D da Apple estariam estrategicamente localizados perto de empresas especializadas em AR, mapas, entre outros
Facebook
VKontakte
share_fav
Longtan Taiwan - Pesquisa e desenvolvimento Apple

Escrevendo para a Bloomberg, Alex Webb (com a ajuda de Mark Gurman) apontou que, nos últimos anos, a Apple tem espalhado seus escritórios de pesquisa e desenvolvimento pelo mundo de maneira bastante estratégica, perto de empresas especializadas em certas áreas e, em muitos casos, teria “roubado” vários empregados.

Há dois fatores aqui que são interessantes: o primeiro é a estratégia usada pela danadinha da Apple; isso não é algo novo, mas é peculiar perceber que a empresa esteja indo por esse caminho. O segundo fator é que, ao olharmos para os locais, podemos notar que talvez sejam essas as áreas nas quais a Maçã está realmente focada, já que o investimento anual em P&D é de US$11 bilhões.

Vejamos os principais locais, com suas respectivas áreas:

Mapas e sistema de carros

Em Berlim (na Alemanha), a Apple abriu em 2016 um escritório a cerca de 3km da HERE, empresa especializada em mapas que a Nokia vendeu para uma fabricante de carros alemã em 2015. Esse escritório hoje é basicamente formado por ex-engenheiros de software da HERE — taí a explicação para vermos aprimoramentos de navegação de carros no app.

Em Denver (nos Estados Unidos), na semana passada, a Apple publicou vagas para engenheiros especializados em mapas. Mas vejam só que fato curioso: em maio, a mídia local afirmou que a Maçã supostamente estaria sondando um prédio a apenas dois quarteirões da sede da Mapquest, que é de propriedade da Verizon.

Já em Ottawa (no Canadá), a divisão de sistemas de carros da BlackBerry (a QNX) tem diversos dos seus ex-engenheiros trabalhando na mesma área, porém agora em uma unidade que a Apple abriu perto de lá, no ano passado.

Chips

Nós acompanhamos de perto a saga da Imagination Technologies, que foi despedaçada depois que a sua principal cliente (a Apple) descartou os seus chips gráficos a fim de criar uma solução própria. Muitos empregados da fabricante, entretanto, estão muito bem, obrigado, trabalhando em um escritório da Apple em Hertfordshire (na Inglaterra), a apenas 11km da sede da Imagination.

Na França, mais especificamente em Grenoble, a Maçã abriu no ano passado um escritório com 20 empregados que é muito próximo a uma unidade de P&D da empresa franco-italiana STMicroelectronics. O jornal local Le Dauphiné Libéré afirmou que a Apple estaria criando uma equipe dedicada ao desenvolvimento de chips de imagem baseados na tecnologia da STMicro. Isso estaria ligado aos aprimoramentos de câmera nos últimos lançamentos.

A gigante fabricante de chips AMD tem um laboratório de P&D em Orlando (nos EUA). Adivinhe quem construiu há uns anos uma unidade de P&D por perto! Sim, a Apple. E, conforme é possível ver em uma pesquisa do LinkedIn, cerca de 32 engenheiros da Maçã nessa área já trabalharam anteriormente com a AMD, muitos especificamente com processadores gráficos.

Todas essas investidas em chips parecem ter estreado agora com a solução gráfica própria da Apple, que veio nos novos iPhones (8, 8 Plus e X) junto ao processador A11 Bionic.

Telas

Longtan Taiwan - Pesquisa e desenvolvimento Apple

Escritório da Apple em Longtan | Imagem: Maurice Tsai / Bloomberg

Aberta em 2015, a unidade de P&D da Apple em Longtan (em Taiwan) teria o seu foco em tecnologias de telas, a fim de reduzir a dependência da Samsung. Anteriormente, o prédio da Maçã teria sido ocupado pelas empresas AU Optronics e Qualcomm; algumas fontes afirmaram que diversos empregados da Apple já teriam trabalhado para ambas as empresas.

Esse investimento em telas é bastante importante, principalmente agora que uma nova tecnologia de telas (ao menos para a Apple), a OLED1, foi implementada no iPhone X.

Realidade aumentada

A Apple já falou, diversas vezes, que aposta muito em realidade aumentada e no que ela pode proporcionar para desenvolvedores e usuários.

No ano passado, a empresa teria contratado silenciosamente diversos ex-engenheiros da neozelandesa Weta Digital, que foi cofundada pelo famoso diretor Peter Jackson e é responsável por efeitos especiais de computação gráfica de produções como “O Senhor dos Anéis”, “Avatar” e “Planeta dos Macacos”.

Ao que tudo indica, os empregados integram uma equipe focada em realidade aumentada, criada em 2016 para supostamente desenvolver o rumorado óculos inteligente que superaria até o iPhone.

· • ·

Avaliando os casos acima, o procedimento parece ser o mesmo: primeiro a Apple define a área na qual quer focar suas pesquisas, depois analisa quais empresas já estão desenvolvendo estudos semelhantes para, então, procurar um local perto dessa empresa e abrir uma unidade ao lado a fim de “roubar” alguns empregados.

Será que tudo isso é coincidência? Com o número de casos, fica difícil pensar que se trata meramente do acaso. Pelo que se pode perceber, trata-se de uma estratégia muito bem definida — a julgar pelo artigo, parece estar sendo bem-sucedida, não é mesmo?

Talvez agora possamos até prever o foco da Apple daqui em diante — basta verificar quais empresas/negócios estão próximos das áreas onde ela abre seus escritórios de pesquisa e desenvolvimento.

ver Mac Magazine
#empresa
#carro
#pesquisas
#escritorio
#sistema
#realidade aumentada
#mapas
#fabricação
#chips
#desenvolvimento
#fabricar
#projetos