Testei os cinco nootrópicos favoritos da internet

Photo of Testei os cinco nootrópicos favoritos da internet
Facebook
VKontakte
share_fav

Esta matéria faz parte do Guia VICE do Autoaperfeiçoamento publicado originalmente na VICE Austrália.

Nootrópicos são aquelas "drogas inteligentes" que supostamente melhoram sua memória e concentração. Tradicionalmente domínio de empreendedores de tecnologia e universitários, drogas como Modafinil e Piracetam se tornaram mainstream nos últimos anos, criando uma indústria de US$1 bilhão só nos EUA.

Muitos desses químicos não são novos. Na maioria são protótipos antigos, desenvolvidos e abandonados por várias empresas farmacêuticas para tratar condições como narcolepsia e TDA. Por essa razão, geralmente não ficamos sabendo por que esses químicos nunca chegaram ao mercado, o que levanta preocupações válidas sobre seus efeitos a longo prazo.

Ainda assim, é fácil encontrar opiniões positivas. A cena de nootrópicos no Reddit em 2017 é vasta e defendida apaixonadamente, com centenas de threads discutindo seus benefícios. Então em quem devemos acreditar? E que nootrópicos são seguros/eficazes?

Decidi passar uma semana descobrindo por conta própria. Depois de ler muito, identifiquei os cinco nootrópicos mais populares da internet (baseado na frequência com que eram mencionados) e gastei cerca de US$150 [cerca de R$ 500] para consegui-los. Aí, para analisar as drogas apropriadamente, tirei uma semana de folga.

O Teste de Controle

Para realizar esse experimento com precisão, eu precisava de um controle. Então, sem nenhum nootrópico no meu sistema, fiz um teste de QI na internet, além do exame prático do MENSA online. Os resultados foram 110 para o meu QI e 21/30 no teste do MENSA. Estabeleci que eu ia fazer um teste de QI diferente todo dia para comparar com a minha pontuação original, e refazer o teste do MENSA no final da semana para saber se havia alguma melhora no geral.

Também entrei em contato com a Dra. Larissa Maier, membro da equipe de pesquisa do Levantamento Global de Drogas, para ter a opinião de uma especialista sobre as substâncias que eu estava tomando.

Teste 1: Aniracetam

Aniracetam foi criado nos anos 70, mas nunca recebeu a aprovação do DEA nos EUA (poucos nootrópicos recebem). Os fabricantes do Aniracetam dizem que a droga melhora o humor, foco, motivação e formações de memória. Mas, como Maier apontou, "não há estudos clínicos sobre o uso dessa droga para melhora cognitiva em humanos".

A dose média é de 1.500 mg por dia, ou um pouco menos que uma colher de chá. Decidi tomar três porções de 500 mg durante o dia.

Francamente, o Aniracetam me fez sentir como se eu tivesse usado speed. Meu humor melhorou quase instantaneamente, junto com um fluxo tremendo de energia. Eu estava confiante, falante e sem limitações. Mas, ironicamente, a droga não melhorou minhas habilidades cognitivas. Era difícil pensar com clareza e mesmo lidar com tarefas simples como contar dinheiro.

Enquanto eu tomava as outras porções, o barato inicial passou e a falta de concentração piorou. Me sentei para o teste de QI do dia, mas tinha que me levantar e andar pela sala o tempo todo, então levei uma hora para terminar. Meu coração estava disparado, perdi o apetite. Não consegui dormir aquela noite, então saí para uma longa caminhada até acabar deitando num canteiro para olhar as estrelas. Uma noite clássica de quem toma drogas.

No dia seguinte eu estava tremendo, ansioso e sem nenhum apetite. Basicamente de ressaca.

Resultado de QI: 108
Minha nota: 2/10

Teste 2: Oxiracetam

O Oxiracetam tem uma molécula bastante parecida com o Aniracetam. Criado na Itália em 1988, o Oxiracetam supostamente funciona estimulando os receptores de acetilcolina, o que melhora a memória de maneiras misteriosas. Na verdade, a maioria dos nootrópicos sintéticos são classificados como "racetams" – todos produzindo uma variedade de efeitos pouco compreendidos. Em qualquer caso, a dosagem de 2.400 mg de Oxiracetam era bem maior que a do Aniracetam, o que me deixou um pouco nervoso.

O Oxiracetam fez um estrago. Fiquei agitado da mesma maneira que com o Aniracetam, mas só na minha cabeça. Me senti desmotivado, constrangido e incapaz de interagir com pessoas. Também senti uma profunda frustração, apesar de não conseguir definir exatamente o que estava me frustrando.

Mas de maneira interessante, meu QI subiu para 117 — um aumento de sete pontos considerando o teste de controle. Mas quando tentei fazer sudoku e jogar uma partida de xadrez, eu não conseguia pensar. Eu estava irritado, impaciente e tive que desistir dos dois e sair um pouco de casa.

O dia seguinte também foi péssimo. Eu estava vago, confuso e incapaz de juntar palavras numa frase. Foi um inferno. Oxiracetam é um inferno.

Resultado de QI: 117
Minha nota: 1/10

Teste 3: Huperzine A

Depois de dois dias tomando sintéticos, eu estava empolgado para experimentar um extrato de planta chamado Huperzine A. A droga vem de um musgo asiático chamado huperzia e é usado na medicina tradicional chinesa há séculos. O Huperzine A supostamente funciona evitando que enzimas quebrem o neurotransmissor acetilcolina, que sinaliza ação dos músculos no corpo. Mas a Dra. Maier duvida dessas descobertas, simplesmente porque são baseadas em estudos com amostragem muito pequena.

A dose média é de 200 mg, então tomei dois comprimidos de 100 mg pela manhã.

Segundo uma legião de fãs de nootrópicos no Reddit, o Huperzine A é a droga mais eficiente. Mas honestamente, não senti quase nada. Não tive nenhuma epifania, não me senti a pessoa mais inteligente da sala, mas me senti estranhamente "artístico". Não sou muito de desenhar, mas passei a tarde toda fazendo uns rabiscos que me deram uma estranha satisfação. Aí fui um pouco além e acabei na biblioteca pesquisando sobre história... mas não retive nada da informação. Ainda assim, foi um dia legal.

Além disso, não senti ansiedade! Eu estava ótimo no dia seguinte e pronto para mais uma rodada de farmacêuticos pesados.

Resultado do QI: 103
Minha nota: 5/10

Teste 4: Modafinil

Modafinil sem dúvida é o nootrópico mais famoso do mercado. Ele foi desenvolvido na França das cinzas de uma droga para narcolepsia chamada Adrafinil, que era impopular porque demorava muito para agir. Os químicos perceberam que poderiam cortar o tempo de espera sintetizando um químico que nasceu do Adrafinil metabolizado — chegando ao Modafinil. A produção do Adrafinil foi encerrada em 2011.

O Modafinil compartilha traços similares com anfetaminas, mas sua mecânica também não é inteiramente compreendida. Segundo Maier, Modafinil é o único nootrópico com alguma credencial sólida, mas ainda vem com os riscos de dor de cabeça, tontura, náusea e boca seca.

Modafinil é forte. Tomei a dose-padrão de 100 mg e senti o efeito quase imediatamente. Meu foco aumentou, mas veio com uma sensação de vertigem e náusea. Passei algumas horas lendo livros grandes para ver se o foco ajudava. Um pouco, mas também não retive muito do que li.

O que mais me surpreendeu foi como me senti mais hábil. Parecia que eu podia me comunicar e entender mais — tanto que até um amigo reparou. Novamente, tive dificuldade para dormir, mas não tive ressaca.

Resultado do QI: 118
Minha nota: 4/10

Teste 5: Juba de Leão

Juba de leão é um cogumelo usado na medicina chinesa, mas recentemente apareceu como um nootrópico por sua habilidade de mielinização de neurônios. Grandes quantidades de mielina cerebral são associadas com melhora na memória, mas como o Huperzina A, esses supostos benefícios vêm com pouca corroboração científica.

Passei três dias tomando juba de leão para ter certeza que teria todo o potencial da droga, mas não senti muita coisa. Talvez ela tenha aumentado meu ritmo cardíaco, mas pode ter sido por acaso. E fiz outro teste de QI e tirei 132, o que só parece minar a legitimidade dos testes de QI da internet.

Resultado de QI: 132
Minha nota: 3/10

Conclusão

Desse experimento, tudo que posso dizer é que nootrópicos são uma porcaria. A combinação de mania, ansiedade, superestímulo, perda de apetite e falta de sono bateu forte. E francamente, não ganhei muito com isso. Meu QI estava no mesmo nível quando fiz o segundo teste do MENSA no final da semana, 22/30, uma melhora de apenas um ponto. Na minha opinião, isso não compensa os efeitos colaterais.

Nootrópicos funcionam, mas os efeitos colaterais não são abordados como deveriam. E esses efeitos são intensos pacas. Com isso em mente, acho que vou ficar só no cafezinho mesmo.

Siga o Sam no Twitter .

Todas as fotos por Lekk Porter .

Siga a VICE Brasil no , Twitter e Instagram.

ver Vice Brasil
#foco
#drogas sintéticas
#inteligência
#experiencia
#anfetaminas
#speed
#drogas inteligentes
#nootrópicos
#uso de drogas