Já é possível restaurar o Apple Watch em casa — com uma ferramenta nada oficial

Photo of Já é possível restaurar o Apple Watch em casa — com uma ferramenta nada oficial
Facebook
VKontakte
share_fav
iBus

Muitos de nós temos iPhones — e, portanto, imagino que muitos de nós saibamos exatamente o procedimento a ser feito caso nosso precioso smartphone da Maçã venha a apresentar algum defeito de software, como um boot loop1: basta conectar o bichinho ao iTunes e restaurar o seu sistema operacional. Em 99% dos casos, tudo voltará à mais perfeita normalidade.

Por outro lado, o Apple Watch é uma criatura totalmente diferente. Sua base de usuários é muito menor, assim como a documentação acerca do seu funcionamento e possíveis resoluções de problemas disponíveis na internet. E, embora seja (ainda) mais raro que no iOS, o watchOS também não está imune a problemas — sim, ele também pode apresentar falhas de inicialização, bugs críticos ou outros defeitos de software que impeçam o seu uso.

O problema: ao contrário do iPhone, o Apple Watch não tem nenhuma interface física para conectá-lo a um computador e realizar uma restauração do seu sistema. Caso o reloginho apresente algum defeito neste sentido, a única solução é entregá-lo numa loja da Apple ou assistência autorizada e esperar até que apresentem uma solução — que, caso o seu acessório já tenha saído da garantia, pode vir acompanhada de uma nada amigável fatura.

Bom, permitam-me corrigir: esta era a única solução. Ao menos é o que clamam os criadores de um pequeno acessório para o Apple Watch batizado de iBus, cujo propósito é simples e direto: oferecer aos donos do reloginho uma forma de conectá-lo a um computador para realizar reparos e restaurações do sistema em casa, sem maiores complicações.

O iBus conecta-se à (quase inexplorada e utilizada apenas internamente, na Apple) porta de função do Apple Watch, escondida dentro do espaço onde conecta-se a porção inferior das pulseiras para o relógio — e coberta por uma pequena tampa de metal que deve ser retirada com uma pinça bem fina. Após encaixar um adaptador já incluído no pacote (que suporta os modelos de 38mm e 42mm), basta conectar o acessório à porta e, na outra ponta do iBus, espetar um cabo Lightning já conectado ao seu computador.

A partir daí, o iTunes reconhece o relógio normalmente e o usuário pode fazer as operações necessárias. Para restaurar o Apple Watch, por exemplo, é preciso colocá-lo em modo de recuperação (que, aqui, é ativado segurando a Digital Crown e o botão lateral por 10 segundos e, em seguida, soltando o botão lateral e ainda apertando a Digital Crown até que o relógio entre no modo desejado) e, então, selecionar no iTunes o arquivo IPSW da versão desejada do watchOS para restaurar o aparelho.

A Apple, como bem se sabe, não libera arquivos das versões do watchOS publicamente como faz com o iOS, mas basta uma rápida pesquisa na internet para encontrar estes pacotes disponíveis para download — o site ipsw.me, por exemplo, pode ser um bom amigo nesta empreitada.

O usuário do YouTube Alireza publicou um vídeo (acima) demonstrando todo o processo, que parece ser bem simples.

O iBus pode ser adquirido no site da sua fabricante, a MFC, que pede US$100 (~R$330) pela versão compatível com o Apple Watch original e Series 1 ou US$120 (~R$400) pelo modelo destinado à Series 2 do reloginho. Pode não ser o tipo de acessório obrigatório para todo dono do Watch, mas certamente será uma mão na roda para os que gostam de realizar experimentos nos seus aparelhinhos de pulso.

via 9to5Mac

ver Mac Magazine
#relógio
#smartwatch
#mac
#acessório
#itunes
#conexão
#apple watch
#restauração
#lightning
#watchos
#função
#reparo
#porta
#dfu
#ipsw