O pragmatismo de curto fôlego de uma certa esquerda, por Ricardo Cavalcanti-Schiel

Photo of O pragmatismo de curto fôlego de uma certa esquerda, por Ricardo Cavalcanti-Schiel
Facebook
VKontakte
share_fav

Categoria:

Análise

Foto: Agência PT

Por Ricardo Cavalcanti-Schiel

(comentário ao post “Podemos fazer mais?”, de Ion de Andrade)

A análise que Ion de Andrade oferece – ao debate que aqui se vem travando sobre as "possibilidades" de uma esquerda petista – se concentra quase exclusivamente na dimensão institucional da política, ou seja na dimensão de governo, supondo como pacífica a tese de que Lula será eleito como próximo Presidente da República.

Creio que isso produz um duplo efeito perverso sobre o sentido da análise. Primeiro, que a torna meramente instrumental(izada) quanto à percepção do que seja o campo da política, sobretudo no que respeita às construções simbólicas nesse campo (algo sobre o quê os antropólogos teríamos algo a dizer, mas que os cientistas políticos em geral não têm). Segundo, que a hipótese Lula é apenas uma hipótese e que, ao absolutizá-la como alguns pretendem (talvez para lhe outorgar o efeito performativo de verdade), não se faz mais que continuar míope dentro do campo mesmo da institucionalidade política.

leia mais

ver Blog do Luis Nassif
#luis nassif online
#ideologias
#esquerda no brasil
#fim de ciclo petista