Depois de Barcelona, startup quer abrir bordel de RealDolls em Londres

Photo of Depois de Barcelona, startup quer abrir bordel de RealDolls em Londres
Facebook
VKontakte
share_fav

A gente já martelou várias vezes esse assunto mas é sempre bom lembrar: desde os primórdios a humanidade se vira nos 30 quando o assunto é sexo. Graças à sua anatomia as mulheres tiveram uma vantagem de milênios sobre os homens, que na falta de uma companheira humana tiveram que se limitar à covardia do 5 contra 1 até o surgimento das bonecas infláveis. A Fleshlight, a grande revolução do sexo solitário masculino? Só foi inventada em 1998, praticamente ontem.

Só que as ditas “damas de viagem” evoluíram rapidamente, passaram a ser cada vez mais realistas. A RealDoll (NSFW, obviamente) é hoje a empresa líder em tecnologia de ponta nesse setor no ocidente, mas comparada à japonesa Orient Doll (já sabe, né?) ela come poeira; o estado da arte que os nipônicos alcançaram é assustador, olhos desavisados podem realmente confundir uma japinha sintética com uma de verdade a uma certa distância.

Dizem que a Orient Doll fornece modelos customizadas para todos os gostos: colegiais, office ladies, MILFs e seguindo as taras dos nipônicos até mesmo underage, o tipo de material que daria prisão no Brasil sem nem mesmo tirar a boneca da caixa.

O grande problema é como sempre o custo: tanto a RealDoll como a Orient Doll e concorrentes são MUITO caras (mais de US$ 5 mil por unidade), apenas quem tem bala na agulha banca uma feliz da vida e é aí que entra o ponto triste nessa história: embora as pessoas perfeitamente saudáveis vejam tais bonecas como os meros brinquedos sexuais que são, eles dificilmente vão pagar tanto numa RealDoll ou coisa que o valha simplesmente porque, me desculpem a franqueza conviver com pessoas de verdade (não importa a finalidade) é muito mais barato.

O público dessas bonecas, em sua maioria não as vê como sex dolls e sim como a companheira perfeita; tais indivíduos estão MUITO longe de serem pessoas saudáveis, são em sua maioria homens que desistiram completamente do convívio social e preferem dividir a vida com um simulacro, são tímidos e retraídos demais para interagir com uma pessoa do sexo oposto (ou do mesmo sexo, a gosto do freguês) mesmo pagando.

Eles já tem problemas demais, não merecem ouvir asneiras de gente dizendo que “Guys and Dolls (NSFW, NSFL, conteúdo extremamente pesado e deprimente) sabe do que estou falando.

O filme A Garota Ideal (2007) abordou esse assunto muito bem, tanto que Ryan Gosling ganhou o Globo de Ouro por sua atuação embora como ator de comédia; para mim o filme é tão incômodo que seria perfeitamente enquadrado como um drama

Voltando ao problema do custo, pessoas que não conseguem se relacionar com outras mas não têm dinheiro para comprar uma RealDoll não tinham muita opção até recentemente, quando uma startup chamada Lumi Dolls importou uma ideia que já é lugar comum no Japão (óbvio) e China: bordéis com bonecas no lugar de acompanhantes humanas. A primeira unidade foi aberta em Barcelona dois meses atrás e a oferta era até bem atraente para o público-alvo: US$ 80 por uma sessão de trinta minutos e US$ 106 por uma hora. As opções variam entre loiras, morenas e até uma variação para otakus solitários, inspirada na idol virtual Hatsune Miku.

Claro, a novidade causou um tremendo sururu na cidade: as concorrentes humanas fizeram tanto estardalhaço, alegando que a Lumi Dolls estava ameaçando o seu ganha-pão (o que é tremendamente injusto, o público-alvo da startup dificilmente procuraria damas que trocam favores por dinheiro em primeiro lugar) que o estabelecimento teve que mudar de endereço para um lugar não divulgado, mas ainda assim a iniciativa parece estar dando frutos. Tanto que o próximo passo da companhia é abrir uma nova unidade em Londres.

A Lumi Dolls, que se vende como “a primeira agência de bonecas sexuais da Europa” utiliza sua abordagem diferenciada para contornar as leis de prostituição, já que em primeiro lugar o que estão fazendo é alugar uma ferramenta. Como a ideia está dando certo segundo o porta-voz da companhia, a ideia agora é testar o mercado britânico na capital antes de abrir mais unidades no Reino Unido; daí por diante a empresa planeja expandir para outros países, embora não tenha dado detalhes; o mais provável é por enquanto permanecer instalada na Europa e não dar pulos maiores, como tentar a sorte na América.

A campanha da Lumi Dolls deixa claro que o cliente interessado em suas “modelos” não é o frequentador assíduo de casas de tolerância normais, e sim aquele que possui certas particularidades como “complexos ou fantasias que os deixam embaraçados e que não podem realizar com pessoas”. Segundo o representante da startup, “nossas bonecas não julgam, nem dizem nada”.

Isso é, até o dia em que a RealDoll lançar sua primeira boneca com IA avançada

Fonte: Digital Trends.

The post Depois de Barcelona, startup quer abrir bordel de RealDolls em Londres appeared first on Meio Bit.

ver Meio Bit
#japinhas
#pr0n
#robótica
#boneca
#realdoll
#sex doll