Recorde de iPhones, Apple Watch vendendo muito bem, quase US$250 bilhões em caixa… confira os destaques do 1º trimestre fiscal de 2017 da Apple

Photo of Recorde de iPhones, Apple Watch vendendo muito bem, quase US$250 bilhões em caixa… confira os destaques do 1º trimestre fiscal de 2017 da Apple
Facebook
VKontakte
share_fav
Tim Cook em uma das muitas WWDC

Ainda ontem a Apple divulgou os resultados financeiros do seu primeiro trimestre fiscal de 2017 — com direito a recordes!

A receita ficou em US$78,4 bilhões (+5%), os ganhos por ação diluída em US$3,36 (+0,1%) e o lucro em US$17,9 bilhões (-1%). Conforme podemos ver, este último caiu devido a uma redução nas margens, que neste trimestre foram de 30,1% (-0,5%). Os números de vendas de iPhones, iPads e Macs ficaram respectivamente em 78,3 milhões (+5%), 13 milhões (-19%) e 5,4 milhões de unidades (+1%). Os “Serviços” da empresa (que englobam Apple Music, Apple Pay, App Store e outros) tiveram um aumento de 18% nas receitas, totalizando US$7,2 bilhões; já a categoria “Outros” teve uma queda de 8%, com ganhos em US$4 bilhões.

Como sempre, Tim Cook (CEO1) e Luca Maestri (CFO2) participaram de uma conferência em áudio para explicar e falar um pouco mais dos detalhes desses três últimos meses financeiros da Maçã. Vamos aos destaques?

Comentários gerais

  • A receita de US$78,4 bilhões foi um recorde para a empresa.
  • Os ganhos por ação diluída do primeiro trimestre fiscal de 2017 (US$3,36) também representaram um recorde para a empresa.
  • A Apple tem agora US$246,1 bilhões em dinheiro e títulos negociáveis, US$8,2 bilhões a mais do quando fechou o quarto trimestre fiscal de 2016.
  • Desses US$246,1 bilhões, mais de US$200 bilhões estão fora dos EUA. A Apple espera que algum tipo e reforma tributária seja aprovada nos EUA ainda neste ano para poder repatriar essa bufunfa.
  • No geral, a Apple adquire entre 15-20 empresas por ano, independentemente do tamanho delas.
  • A empresa devolveu quase US$15 bilhões para investidores através de dividendos e recompras de ações; assim, US$201 dos US$250 bilhões do Programa de Retorno de Capital já foram completados.
  • E tomem recordes: as receitas em quatro das cinco regiões geográficas onde a Apple está presente também bateram recordes.
  • O trimestre foi beneficiado por ter tido uma 14ª semana, mas isso — de acordo com Maestri — foi compensado por alguns fatores como um menor estoque de alguns produtos e um pagamento de US$548 milhões que a Apple recebeu no ano passado (processo envolvendo infrações de patentes contra a Samsung).
  • Na Grande China, o desempenho da Apple caiu cerca de 8%; destes, 4% podem ser atrelados variação de moedas. Na China em si, as receitas foram estáveis (+6% se for avaliado em moeda constante); apesar das dificuldades, 50% das vendas de iPhones foram para novos usuários e as vendas de Macs e iPads estão bem.
  • A Apple teve um desempenho recorde na Índia e pretende investigar significantemente por lá.

iPhones

  • Os iPhones bateram recordes neste trimestre, tanto em número de vendas (78,3 milhões) quanto em receitas (US$54,4 bilhões).
  • Sem entrar em detalhes e divulgar números/porcentagens, Cook falou que a demanda do iPhone 7 foi altíssima; dentre os modelos Plus já lançados pela empresa, o 7 Plus foi o que teve o melhor desempenho.
  • Apenas agora, meses depois do lançamento, é que a Apple conseguiu estabilizar os estoques e atender bem à demanda pelos iPhones 7 e 7 Plus.
  • O iPhone cresceu dois dígitos (ou seja, mais de 10% ou mais) na Austrália, no Canadá, nos Estados Unidos, na Europa Ocidental, no Japão e em alguns outros mercados.

iPads

  • Apesar da queda dos números, as vendas de 13,1 milhões de unidades foram acima do esperado pela Apple.
  • As vendas dos tablets cresceram na China e na Índia, onde a empresa expandiu a sua distribuição.
  • O iPad tem hoje 85% do mercado de tablets que custam US$200 ou mais.
  • A satisfação dos clientes (99%) e a intenção de compra continuam bem altas.

Macs

  • Assim como os iPhones, os Macs também fizeram bonito; apesar de as 5,4 milhões de unidades não serem um recorde, a receita gerada por elas (US$7,2 bilhões) foi.
  • A Apple conseguiu crescer 10% ou mais em muitos mercados.
  • A procura pelo MacBook Pro com Touch Bar está “muito boa”, segundo o CEO da Apple.
  • A maioria dos clientes que compraram novos Macs é nova na plataforma, ou seja, estão migrando de PCs com Windows.

Serviços

  • A receita de US$7,2 bilhões é um novo recorde para a Apple — e a 14ª semana foi mais do que compensada com o dinheiro pago pela Samsung no ano passado.
  • E tomem mais recordes! A App Store também teve o melhor desempenho de todos os tempos, com dezembro representando o melhor mês da história da loja (US$3 bilhões); há, hoje, cerca de 2,2 milhões de apps disponíveis na loja.
  • Do montante de US$60 bilhões já pagos a desenvolvedores, US$20 bilhões foram distribuídos em 2016.
  • As transações do Apple Pay subiram 500% se comparadas ao mesmo período de 2015; já o número de usuários, triplicou.
  • A versão web do sistema de pagamento móvel já está disponível em quase 2 milhões lojas online; a Comcast começará a aceitar o Apple Pay ainda em fevereiro.
  • Financeiramente falando, a categoria “Serviços” já estaria bem próxima de se tornar uma empresa do ranking Fortune 100.
  • Apesar do grande crescimento da categoria “Serviços”, Cook não está satisfeito e disse que pretende dobrar os ganhos dela nos próximos quatro anos.
  • Cook mencionou que a empresa está apenas começando3 no que diz respeito a investimento em conteúdos próprios e que a Apple ainda está aprendendo muito sobre isso; será que finalmente um serviço global de streaming de vídeos chegando, até para dar um empurrãozinho nos ganhos da categoria “Serviços”?
  • Se juntarmos Apple Music e iTunes [Music] Store, o mercado musical da Apple voltou a crescer; a Apple também está ganhando bem com as vendas de espaço no iCloud e de AppleCare.

Outros

  • A Apple não descrimina as vendas de Apple Watches em seus relatórios, mas Cook informou que o relógio também bateu recorde de receita.
  • Mais do que isso: Cook afirmou que a Apple não conseguiu produzir relógios suficientes para acompanhar a demanda.
  • Também sem descriminar as vendas de AirPods, Cook afirmou que a resposta do mercado está sendo incrível.
  • Com os AirPods, o Apple Watch e os fones da Beats, a Apple acredita que tem agora uma linha bastante rica e promissora de vestíveis (wearables).
  • Praticamente todas as fabricantes de automóveis no mundo estão comprometidas com o CarPlay, que já está sendo utilizado por cerca de 1 milhão de pessoas.
  • O desempenho ruim da categoria “Outros” se deve à Apple TV, que aparentemente teve uma queda forte nas vendas nestes últimos meses.
  • As lojas da Apple também cresceram dois dígitos tanto em receitas quanto em número de visitantes.
  • A Apple tem planos de abrir a sua primeira loja em Singapura, enquanto Dubai ganhará uma segunda; os planos de renovação de lojas, como a que está acontecendo na Apple Fifth Avenue, continua.

Perguntas e respostas

  • Perguntado sobre a questão da valorização do dólar e a relação com mercados emergentes, Maestri disse que o nível de interesse em mercados emergentes é fenomenal e que em muitos lugares a classe média está crescendo. Contudo, o dólar valorizado não ajuda a empresa e, por isso, a Apple precisa ser cuidadosa nas decisões de preços e no equilíbrio entre unidades, receita e margem — olha para nóis, Maestri!
  • Já sobre a disputa com a Qualcomm, Cook disse que ainda prefere entrar em acordo do que partir para brigas em tribunais, o que considera ser a última opção em todos os casos; contudo, o CEO da Apple disse que não teve opção já que a Qualcomm insistiu em cobrar royalties sobre tecnologias que não tinham nada a ver com ela. “Assim, quanto mais inovávamos, mais dinheiro a Qualcomm recolhia sem motivo. É um pouco como comprar um sofá e ser cobrado de forma diferente, dependendo da casa que ele vai entrar.”
  • Fazendo uma leve propaganda do HomeKit, Cook disse que automatizou boa parte da sua casa — ele fala “Bom dia” para ligar as luzes e fazer café, por exemplo; ele também automatizou a lareira, as fechaduras e muito mais. “Este nível de automação residencial era inimaginável há apenas alguns anos, e está aqui hoje com o iOS e o HomeKit.”

Gráficos

Abaixo, alguns gráficos interessantes que resumem em números o primeiro trimestre fiscal de 2017 da Apple:

Gráficos do primeiro trimestre fiscal de 2017 da Apple

Gráficos do primeiro trimestre fiscal de 2017 da Apple

Gráficos do primeiro trimestre fiscal de 2017 da Apple

Gráficos do primeiro trimestre fiscal de 2017 da Apple

Gráficos do primeiro trimestre fiscal de 2017 da Apple

Gráficos do primeiro trimestre fiscal de 2017 da Apple

Gráficos do primeiro trimestre fiscal de 2017 da Apple

Gráficos do primeiro trimestre fiscal de 2017 da Apple

Gráficos do primeiro trimestre fiscal de 2017 da Apple

[via MacRumors, AppleInsider, MacStories]

ver Mac Magazine
#tim cook
#app store
#trimestre fiscal
#recorde
#luca maestri
#gráficos