Pesquisa mostra como brasileiros pagam caro por produtos Apple (e eletrônicos em geral)

Photo of Pesquisa mostra como brasileiros pagam caro por produtos Apple (e eletrônicos em geral)
Facebook
VKontakte
share_fav
Bandeira do Brasil

A fim de entender melhor as tendências econômicas globais relacionadas a preços no mercado de eletrônicos (smartphones, notebooks, carregadores portáteis, impressoras multifuncionais, consoles, etc.), a Linio (varejista latino-americana) pesquisou o preço médio de diversos produtos em 72 países.

A lista foi classificada pela soma do preço total de cada país. Assim, a Linio mostrou como as tarifas, impostos e inflação causam impacto nos preços dos produtos. Os países mais baratos para do ranking são os do Oriente Médio que — segundo a varejista — apesar do custo de vida relativamente elevado, cobram impostos relativamente baixos sobre os produtos de consumo. No outro extremo (nos países mais caros) temos a inflação e as restrições à importação como principais influenciadores nos preços para lá de elevados.

Tudo que temos de informação sobre a metodologia da pesquisa é isso. A Linio não especifica, por exemplo, quais modelos de cada produto fizeram parte da pesquisa. Telefone Android e impressora multifuncional, por exemplo, são descrições para lá de superficiais. No caso dos produtos Apple, não temos informações sobre a geração dos produtos, capacidade interna, etc.

A pesquisa também não revela se o valor dos produtos em países onde o imposto não é embutido no preço final (como Estados Unidos) já está contemplando isso, entre outras muitas dúvidas que podemos levantar. Ainda que não seja um estudo certeiro, que pinte um retrato exatamente fiel à realidade, não deixa de ser um bom termômetro.

Dito isso, vamos aos números:

Ranking de preços de produto compilado pela varejista Linio

No ranking geral (produtos mais baratos), o Brasil ocupou a 69ª posição, à frente apenas de Brunei, Angola e Venezuela.

Brincando um pouco com o gráfico (no site da Linio ele é interativo), podemos avaliar o ranking selecionando cada um dos produtos. Fazendo isso com os da Apple, o Brasil ocupa a seguinte posição:

Produto Posição Valor em US$ Valor convertido em R$1
iPhone 62ª US$ 843,30 R$ 2.676,97
MacBook 71ª US$ 3.390,96 R$ 10.764,26
iPad mini 69ª US$ 525,04 R$ 1.666,68
Apple Watch 52ª US$ 383,39 R$ 1.217,03

Normalmente o Brasil ocupa as últimas posições (ou primeiras, quando estamos falando de produtos mais caros) e isso se repete nesta pesquisa. Por outro lado, não estamos tão ruins como em outras que já divulgamos por aí. Isso, porém, não significa que as coisas mudaram; como disse, tudo depende da metodologia utilizada para chegar a essas informações — e como a Linio não deixou isso claro, não há muito o que analisar aqui — apenas contemplar as posições).

Todavia, de cara já vemos que há algo errado com os valores, seja para mais (MacBook) ou para menos (iPhone, iPad mini e Apple Watch). Nenhum preço convertido para reais bate com os da Apple aqui em nosso país (ao menos se levarmos em conta dos produtos de entrada da geração atual), o que me faz desconfiar ainda mais da metodologia.

Produto Valor da pesquisa Valor da Apple
iPhone R$ 2.676,97 R$ 3.149,10
MacBook R$ 10.764,26 R$ 8.819,10
iPad mini R$ 1.666,68 R$ 2.879,10
Apple Watch R$ 1.217,03 R$ 1.979,10

Mesmo com todas as ressalvas, fica aqui o gráfico para vocês analisarem e tirarem as suas próprias conclusões.

[via AppleInsider]

ver Mac Magazine
#macbook
#preço
#apple watch
#valor
#ipad mini