A idade média e as prisões de Garotinho e Cabral, por Washington Quaquá

Facebook
VKontakte
share_fav

Categoria:

Justiça
“Era na idade média um programão das famílias ir ver alguém ser queimado vivo na fogueira ou guilhotinado em praça pública”
Jornal GGN - No artigo a seguir, compartilhado nas redes sociais, o prefeito de Maricá e presidente estadual do PT do Rio de Janeiro, Washington Quaquá, analisa as prisões espetaculares dos ex-governadores do estado Sérgio Cabral e Anthony Garotinho, criticando tanto a ação do poder judiciário quanto da cobertura da mídia.
"Em um país democrático, onde se respeita a lei e os direitos e garantias do cidadão, ninguém pode ser preso sem que o processo seja concluído. Ele [Cabral] teria que ser preso ao final do processo, depois de vistas as provas e de ter seu direito a defesa garantido. Esse linchamento público realizado pela mídia com ações de justiçamento da justiça estão levando o Brasil há um processo de degradação ética e social nunca vista. Não se sabe onde isso vai parar".
Quaquá reforça que sempre foi adversário dos dois políticos, entretanto, seu posicionamento divergente não significa que seja contrário a democracia e respeito às garantias constitucionais, atentando para a necessidade de racionalizar o momento político para que a sociedade não volte a cometer mais uma vez erros historicamente recorrentes.

leia mais

ver Blog do Luis Nassif
#luis nassif online
#midia
#reputação
#assassinato de reputação
#prisões arbitrária
#washington quaquá