Hierarquia entre rendas das castas, por Fernando Nogueira da Costa

Facebook
VKontakte
share_fav

Categoria:

Artigos

Quando a casta dos comerciantes-financistas se apropria do poder discricionário de fixar o juro básico de referência, este passa a ser a variável-determinante de todas as demais rendas, que ficam submetidas à dura Lei do Mercado

do Brasil Debate

Hierarquia entre rendas das castas

por Fernando Nogueira da Costa

Soldo veio do latim solidumnummum, elipse de numerário ou a moeda de ouro da Roma imperial. Designando a quantia paga aos mercenários, passou-se a considerá-los “soldados”. Rasos porque os miles (militares) eram mal pagos face ao risco de perder a vida ao militare, lutar nas militia, milícias. Mas, por extensão, soldo passou a ser o vencimento de militares de qualquer posto ou graduação, ou seja, da casta dos guerreiros.

Daí, também por extensão, virou pagamento a quem presta serviço de qualquer natureza; uma remuneração ou ordenado. Ao “ordenado que recebe ordens” tal como o membro da casta dos sábios. O antônimo é a obrigação contraída por arrendamento de terras. Neste caso, o pobre coitado tem sempre um saldo a liquidar com um soldo

Alquilé era o aluguel de coisa móvel por tempo determinado, especialmente de cavalgaduras. Passou a ser preço do aluguel ou arrendamento pago à casta dos aristocratas proprietários de terra. Da cavalgadura de aluguel se derivou o aluguel: cedência ou aquisição do uso e gozo de qualquer coisa móvel ou imóvel, ou prestação de serviços, por tempo e preço determinados, geralmente, mediante contrato. Arrendamento, locação, ou melhor, o preço pago por essa locação. Refere-se ao local onde o assalariado presta serviço.

leia mais

ver Blog do Luis Nassif
#luis nassif online
#área do colunista
#políticas sociais
#desigualdade
#desigualdade social
#castas