Comissão de Ética vai apurar conduta do ministro da Saúde em evento eleitoral

Photo of Comissão de Ética vai apurar conduta do ministro da Saúde em evento eleitoral
Facebook
VKontakte
share_fav

A Comissão de Ética da Presidência decidiu apurar a conduta do ministro da Saúde, Ricardo Barros, por ter participado de eventos eleitorais nos quais teria prometido a liberação de recursos da pasta, valendo-se do cargo. Após reunirem-se nesta segunda-feira (24), os membros do colegiado abriram um procedimento sobre o caso e determinaram o prazo de dez dias para que Barros se manifeste.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, será investigado pela Comissão de Ética da Presidência da República José Cruz/Agência Brasil

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, o ministro compareceu no fim de setembro a diferentes cidades do interior do Paraná e fez promessas como a construção de um hospital em Marialva e anunciou verbas para Apucarana, atendendo à reivindicação do prefeito candidato à reeleição.

O presidente da comissão, Mauro Menezes, disse que o processo foi aberto por iniciativa do próprio órgão e que é necessário investigar as atividades de Barros já que, em períodos eleitorais, é editada uma cartilha com condutas vedadas a ministros e demais integrantes do serviço público. "Autoridade com cargo de confiança não pode, no período eleitoral, prometer a seus eleitores cargos, obras ou verbas que dependam da sua atuação como autoridade. Claro que ela pode, como cidadão, participar [de eventos], mas é preciso que [essa participação] seja feita sem vinculação a repasse de verbas", afirmou Menezes.

Após ser dado o direito de defesa ao ministro, o colegiado vai analisar o caso e, se comprovar que houve infração ética, poderá aplicar uma advertência ou até recomendar a sua exoneração. O órgão volta a reunir-se no dia 21 de novembro.

Em nota, o ministério da Saúde informou que Barros exerce suas funções "em acordo com a legislação vigente". De acordo com a pasta, o ministro cumpre as normas estabelecidas "pelos órgãos de controle para casos de agentes públicos e políticos".

ver Agência Brasil - Política
#campanha eleitoral
#eleicoes2016
#ricardo barros
#comissão de ética da presidência
#ministro da saúde