Covas isenta prefeitura por transtornos causados pela chuva em São Paulo

Facebook
VKontakte
share_fav

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), isentou a administração municipal de responsabilidade pelos transtornos decorrentes do temporal que atingiu a cidade nesta 2ª feira (10.fev.2020).

Covas destacou que a cidade teve neste início da semana 1 volume de chuvas equivalente a metade do que era previsto para todo o mês de fevereiro. Disse que os estragos teriam sido maiores “não fosse o trabalho preventivo que a Prefeitura fez ao longos dos últimos meses”.


“Limpamos vários córregos da cidade, limpamos todos os piscinões –aliás, nenhum piscinão da cidade de São Paulo transbordou por causa desta limpeza. Os rios, para onde vão essa água, não aguentaram essa quantidade imensa de água que choveu nas últimas horas. A cidade tem feito tudo o mais rápido possível para poder reduzir os problemas”, disse o prefeito em vídeo divulgado nas redes sociais.

“Foi o trabalho preventivo de poda de árvores que fez com que não caísse uma quantidade imensa de árvores que sempre caem em momentos como este. O rodízio [municipal de veículos] já foi suspenso e essa equipe [de gestão] está reunida permanentemente para tomar medidas o mais rápido possível”, completou.

Eis a gravação publicada pelo prefeito (2min01seg):

De acordo com Covas, 43 escolas municipais tiveram as aulas canceladas por causa das chuvas e outras 41 unidades básicas de saúde deixaram de funcionar nesta 2ª feira em virtude de alagamentos.

Os moradores da capital paulista enfrentam transtornos decorrentes das fortes chuvas que perduram desde a madrugada desta 2ª feira (10.fev). O rio Tietê chegou a transbordar, causando alagamentos –a Marginal Tietê foi totalmente interditada, na altura da ponte da Casa Verde.

Até as 13h30, o Corpo de Bombeiro chegou a registrar 140 ocorrências de desabamentos, 796 de enchentes e 120 de quedas de árvores.

A previsão do tempo indica que os temporais só devem se afastar do território paulistano a partir de 4ª feira (12.fev). A Defesa Civil recomendou que os paulistanos fiquem em casa.

Inundação em bairro próximo ao Tietê Paulo Pinto/Fotos Públicas

Ex-prefeito critica atual gestão

O ex-prefeito da capital paulista Paulo Maluf aproveitou o transtorno para relembrar os tempo de sua gestão. “Saudades da época em que se trabalhava em São Paulo, hoje só se fala mal e não trabalham”, disse.

Maluf, que foi prefeito em 2 mandatos (1969-1971 e 1993-1996), destacou que foi ele quem construiu diversos piscinões.

ver Blog do Fernando Rodrigues
#prefeitura de são paulo
#bruno covas
#rio tietê
#chuvas
#são paulo
#temporal
#brasil