Autoridades de Hong Kong negam entrada a diretor da Human Rights Watch

Facebook
VKontakte
share_fav

As autoridades de Hong Kong –região administrativa da China– negaram no domingo (12.jan.2020) a entrada do diretor-executivo da HRW (Human Rights Watch), Kenneth Roth. As informações são da organização não governamental de direitos humanos.

Kenneth Roth planejava lançar esta semana em Hong Kong o relatório anual da organização. O documento, de acordo com 1 comunicado da HRW, irá “destacar a intensificação do ataque do governo chinês ao sistema internacional de direitos humanos”.


De acordo com a HRW, as autoridades de imigração não esclareceram os motivos de Roth ter sido barrado. Apenas o barraram logo quando ele aterrissou no Aeroporto Internacional de Hong Kong, em 12 de janeiro de 2020.

“Nessa visita, eu esperava destacar os crescentes ataques de Pequim aos esforços internacionais para defender os direitos humanos”, disse Roth. “A recusa em me deixar entrar em Hong Kong ilustra claramente o problema”.

A decisão de impedir a entrada de Kenneth Roth surge depois de Pequim ter prometido que iria aceitar em Hong Kong as organizações que, segundo as autoridades chinesas, tinham “realizado 1 mau trabalho” em relação aos protestos antigovernamentais que agitam Hong Kong há mais de 7 meses.

*Com informações da Agência Brasil e da RTP, emissora pública de televisão de Portugal

ver Blog do Fernando Rodrigues
#hong kong
#human rights watch
#pequim
#china
#internacional
#keneth roth